Hospital de Clínicas da Unicamp bate recorde de transplantes em 2016

Unidade está entre os dez hospitais que mais realizam transplantes no Brasil e é o que mais executa procedimentos deste tipo no Estado


O Hospital de Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) atingiu 351 transplantes em 2016 e bateu o recorde da Instituição desde 1984, quando o procedimento começou a ser realizado. A unidade está entre os dez hospitais que mais realizam transplantes no Brasil e é primeiro do Estado. No total, foram registrados 6.268 procedimentos.

O transplante hepático também alcançou o procedimento de número 800 neste mês. Entre os destaques estão o renal (136) e o de córnea (123) e o transplante cardíaco (8), renal (136) que superaram os números de 2015. Confira aqui a tabela geral de transplantes.

Foto: Divulgação
Dos dez tipos de órgãos e tecidos que podem ser transplantados, o HC da Unicamp não realiza os de intestino, valva cardíaca, ossos e o de pulmões

Entre os órgãos que podem ser doados, o coração e o pulmão são os que possuem o menor tempo de preservação extra-corpórea: de 4 a 6 horas. Fígado e pâncreas vêm em seguida com tempo máximo para transplante de 12 a 24 horas e os rins podem levar até 48 horas para ser transplantados. Já as córneas podem permanecer em boas condições por até sete dias e os ossos até cinco anos.

Em 2016, o hospital foi premiado pela Secretaria de Estado da Saúde pelo destaque na captação, notificação e realização de transplantes entre agosto de 2015 e agosto de 2016. O prêmio reconheceu os esforços das especialidades renal e hepática e também da equipe de Organização de Procura de Órgãos e Tecidos (OPO) HC-Unicamp.