Famílias podem perder benefício do Bolsa Família

Mais de 3 mil pagamentos de programa federal estão bloqueados na região por falta de atualização de cadastros


O Bolsa Família de 3.214 beneficiários que moram na RPT (Região do Polo Têxtil) foi bloqueado pelo Ministério do Desenvolvimento Social. O motivo é que essas as famílias foram convocadas para realizarem a averiguação de cadastro, mas não compareceram dentro do prazo, que se encerrou dia 19 de janeiro.

Para evitar o cancelamento do benefício, elas precisam procurar a gestão municipal do programa até o dia 16 de março. De acordo com o Ministério, a averiguação cadastral consiste na verificação de informações por meio da comparação com outros registros administrativos para identificar possíveis inconsistências.

As famílias que estão com os benefícios bloqueados fazem parte do grupo 4, o último a ter sido convocado para conferência de registros. Os três primeiros grupos que não levaram a documentação atualizada já tiveram o benefício cancelado.

Em 2017, foram repassados R$ 54,7 milhões em benefícios do Bolsa Família à RPT. No ano passado, o número de beneficiários do programa social bateu recorde na região, chegando a 24.767 famílias. O valor recebido é calculado com base em diversos fatores como número de pessoas da família e a idade de cada um. Têm direito ao benefício famílias com renda per capita mensal de até R$ 170.

Hortolândia é a cidade da região com mais beneficiários e, consequentemente, mais convocados. Contudo, tem o segundo pior índice de comparecimento para atualização – apenas 6,94%. Para o secretário de Inclusão e Desenvolvimento Social da cidade, Ananias José Barbosa, um fator que dificulta o comparecimento é o deslocamento. Até o ano passado, a atualização na cidade era realizada na região central. “Até por se tratarem de famílias de baixa renda, a locomoção é difícil. No segundo semestre de 2017, fizemos a descentralização para podermos ficar mais próximos dessa população”, afirmou.

Agora, há postos nas regiões dos bairros Vila Real, Jardim Amanda, Novo Ângulo e Rosolen.
Os convocados precisam levar documentação pessoal e comprovante de renda. Geralmente, esse tipo de atendimento é feito no Cras (Centro de Referência de Assistência Social), mas o usuário precisa confirmar junto à prefeitura onde é realizado. “Que as pessoas deixem de receber o benefício por outros motivos, como melhora na renda, nas condições de vida, mas não pela falta de atualização do cadastro”, afirmou Ananias.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!