Empresas de ônibus que estão em greve serão multadas

Ouro Verde e Boa Vista já receberam R$ 170 mil em multas desde o ano passado por descumprimento da tabela horária


Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Funcionários das empresas alegam falta de pagamento de salários

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) e as prefeituras de Sumaré e Hortolândia informaram que vão multar as viações Ouro Verde e Boa Vista pela paralisação do transporte público, nesta terça-feira, que deixou 129 mil passageiros sem ônibus municipais e interurbanos na RPT (Região do Polo Têxtil), além de Monte Mor e Campinas. Em assembleia na noite desta terça, a paralisação foi mantida para esta quarta.

A autarquia estadual e a administração de Sumaré ainda aguardam a definição de dias e horas de paralisação para calcular os valores a serem aplicados em multa. A Prefeitura de Hortolândia informou que a multa deve ser de aproximadamente R$ 25 mil, mesmo valor que já foi cobrado da Viação Boa Vista na última greve, no dia 16 do mês passado.

Segundo a EMTU, entre 2016 e início deste ano, as duas empresas receberam mais de R$ 170 mil em multas justamente por descumprimento da tabela horária, o que incluiu os movimentos grevistas e atrasos nas linhas na região de Campinas, área de atuação das empresas.

Iniciada ontem, a paralisação atingiu 105 mil passageiros das linhas intermunicipais, o que motivou a autarquia a emitir uma nova notificação. A paralisação de ontem prejudicou 9 mil usuários em Hortolândia, 2 mil em Nova Odessa e 13 mil em Sumaré. Não houve paralisação nos transportes urbanos de Americana e Santa Bárbara d’Oeste.

Por meio de nota, a prefeitura de Hortolândia disse que aguarda o pagamento até a madrugada desta quarta-feira, caso contrário disponibilizará 15 ônibus escolares para atender emergencialmente os passageiros. “Além disso, a Secretaria de Planejamento Urbano, com suporte do Jurídico, tomará outras medidas cabíveis a fim de garantir transporte eficiente para a população”, informou a assessoria de imprensa da administração.

Em Sumaré, o prefeito Luiz Alfredo Dalben (PPS) publicou a íntegra da notificação enviada a Ouro Verde ameaçando multar a empresa, caso o transporte não retorne na manhã de hoje. “A concessionária tem o dever, conforme contrato, de manter um serviço de qualidade aos seus usuários, independentemente das circunstâncias que motivaram a paralisação do transporte público”, diz o ofício.

A Prefeitura de Nova Odessa diz acompanhar as negociações entre empresa e sindicato. Procuradas pelo LIBERAL, as viações não se manifestaram.

A greve
A paralisação desta terça começou de madrugada quando os funcionários do primeiro turno da Ouro Verde e da Boa Vista constataram a falta de pagamento. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários da Região, os salários deveriam ter sido depositados no dia 5.

As empresas afirmaram na sexta-feira ter negociado com os trabalhadores prazos estendidos para quitação, entre os dias 10 e 12 deste mês. A entidade sindical chegou a publicar um edital anunciando greve na região metropolitana, mas a adesão limitou-se a empresas de Hortolândia e Sumaré.

O secretário-geral do sindicato, Nadir Migliorin, disse que as negociações chegaram em um ponto limite. “Pedimos desculpas à população pelos transtornos causados, mas isto é uma consequência do atraso de pagamentos. Chegamos a um ponto que não tem como apelar, não se chega a nenhum acordo. Até que eles façam o pagamento, vamos ficar parados por tempo indeterminado”, declarou.