Diabetes acomete 92 mil pessoas na região

Metade dos portadores não sabe ter a doença, que na maior parte dos casos tem sintomas iniciais imperceptíveis


Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Diabetes acomete 92 mil pessoas na região

A RPT (Região do Polo Têxtil) tem estimados 92 mil diabéticos, que representam 10% das populações somadas de Americana, Santa Bárbara, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia. E o mais alarmante é que 50% deles nem imaginam que têm a doença.

A grande maioria dos casos se refere ao diabetes tipo 2, com sintomas leves, imperceptíveis no começo. Mas a falta de tratamento adequado – que alia medicação, alimentação correta e prática de exercícios – pode levar o paciente a um quadro de saúde sério, com perda progressiva da visão, redução da potência sexual e doenças cardiovasculares.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Elisângela Bertella iniciou uma reeducação alimentar após o diagnóstico

Americana, por estas projeções universais, pode ter 23 mil habitantes. Pouca gente sabe, no entanto, é que existe na cidade um serviço de referência na prevenção da doença e na orientação dos pacientes.
A ADAM (Associação dos Diabéticos de Americana) funciona há quase 18 anos. A ajuda da prefeitura ao trabalho se limita, hoje, ao pagamento do aluguel do imóvel ocupado. As palestras são feitas por enfermeiros, psicólogos, terapeutas motivacionais e nutricionistas voluntários.

Todos os frequentadores da associação – pelo menos cem associados de frequência assídua – recebem insulina, seringas e fitas para exames. Tudo de graça, segundo a assistente social do grupo, Josane Bosso da Costa. Para pagar as contas e comprar material, o grupo depende de doações. E do trabalho de voluntários que organizam jantares.

A ADAM é presidida por Maria Goretti Cavinato Favaretto, de 55 anos. No fim dos anos 90, ela descobriu que seus filhos eram diabéticos. Foi aí que ela e um grupo de amigos resolveram fundar uma associação pública para orientar e amparar os doentes. Desde 2006, o grupo ocupa o prédio atual.

O grupo de apoio promove palestras todas as quintas-feiras, das 13h30 às 15h, e das 19h30 às 21h. Também há atendimentos individuais, agendados, durante todos os dias da semana. A ADAM fica na Rua Albânia, 193, Santa Maria, Americana. O telefone é o (19) 3407-3043.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Neyde Kessamiguiemon borda guardanapos para ajudar a ADAM

CUIDADOS
Quem convive com a doença reconhece o trabalho da associação. Neyde Martins Kessamiguiemon, de 66 anos, descobriu o diabetes aos 22 anos. Hoje, faz academia três vezes por semana e tem a alimentação equilibrada. Ela se identificou tanto com a associação que borda guardanapos vendidos no brechó. “Trabalho na feijoada, nas festas juninas, gosto de ajudar”, diz.

A auxiliar administrativa Elisângela Bertella, de 45 anos, diz que a ADAM a ajudou a conviver com o diabetes. E a “nova vida” inclui a reeducação alimentar. “Aprendi a ser moderada, a saborear os alimentos e não me empanturrar”, diz. “Com orientação e equilíbrio, o diabético vive bem”.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter