Deputados dizem que pressão foi importante para mensagem sobre anistia

Presidente Michel Temer disse que vetaria uma eventual anistia a políticos que cometeram Caixa 2 caso seja aprovada pelo Congresso


Os dois deputados federais da RPT (Região do Polo Têxtil) atribuíram à pressão popular o motivo da mensagem do presidente, Michel Temer (PMDB), deste domingo, de que vetaria uma eventual anistia a políticos que cometeram Caixa 2 caso seja aprovada pelo Congresso. Contrários a um eventual perdão, Ana Perugini (PT) e Vanderlei Macris (PSDB) acreditam que a tomada de decisão do chefe do Executivo federal tem relação direta com a opinião pública contrária ao perdão.

A Câmara pôs em pauta na semana passada, mas não votou, um projeto que perdoa os políticos envolvidos em crimes de gastos não contabilizados durante a campanha eleitoral. Em anúncio conjunto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e o presidente do Senado, Renan Calheiros, Temer disse que se mesmo assim a anistia for aprovada ele irá vetá-la.

O tucano chegou a colher assinaturas na semana passada para que, caso a Câmara fosse votar a proposta de anistia, a votação ocorresse de forma nominal. “A gente precisa ter a sensibilidade de saber o que a sociedade quer. Houve uma reação, a sociedade se mobilizou por isso. Quando ele (Temer) chama os dois presidentes para conversar, o próprio presidente da República percebeu o caminho que estava tomando. Eles tomaram uma atitude de alguém que tem sensibilidade”, disse Macris.

Ana Perugini enxergou a decisão de Temer sob a mesma ótica. “Não tenha dúvidas de que a manifestação, a mobilização popular teve papel importante neste anúncio”, disse. Ela crê que a visão do presidente foi modificada à medida em que percebeu o interesse público em volta da questão.