‘Me sinto prejudicado’, diz Bill sobre cassação de candidatura

Prefeito reeleito é acusado de fazer “comício” durante entrevista ao vivo concedida a uma rádio no dia das eleições municipais deste ano


Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Bill disse que se sente prejudicado e que precisa correr agora contra o tempo

Diante da cassação do registro da candidatura, o prefeito de Nova Odessa, Benjamim Bill Vieira de Souza (PSDB), afirmou ao LIBERAL nesta quinta-feira que se sente prejudicado pela decisão da Justiça Eleitoral local. Ele afirmou que irá recorrer da decisão e que irá “correr contra o tempo” para conseguir a diplomação no dia 19 de dezembro, data-limite para poder tomar posse no dia 1° de janeiro.

“Eu estou muito tranquilo de que não fiz nada de errado. Nós vamos recorrer. A rádio que me entrevistou, não vejo mal nenhum. Eu estava saindo da votação e o radialista me chamou para entrevistar. Já era meio-dia, o que isso interfere na votação? Eu ganhei no voto, não vejo aonde que a entrevista me favoreceu”, afirmou o prefeito.

A ação que resultou na cassação do registro de Bill foi a sétima ação eleitoral movida contra o prefeito nessas eleições. Todas pediam a cassação do registro e a inelegibilidade dele e de seu vice. Em caso de novas eleições, o prefeito afirmou que “o time é forte”.

O registro da candidatura da reeleição foi cassado pelo juiz eleitoral Gabriel Baldi de Oliveira, na noite desta quinta-feira. A decisão torna o chefe do Executivo reeleito e seu vice, Oscar Berggren Neto, inelegíveis por oito anos.

Ainda cabe recurso da decisão judicial de primeira instância, mas enquanto o caso não for julgado no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) e TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o candidato não pode ser diplomado, e consequentemente não assume o cargo em janeiro, a não ser que obtenha uma liminar que o autorize a ser diplomado. Caso ele não tome posse, o presidente da Câmara assumirá o Executivo e novas eleições serão convocadas, já que Bill teve mais de 50% dos votos.

Na Aije (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) que gerou sua condenação, Bill é acusado de fazer um “comício” durante uma entrevista ao vivo concedida a uma rádio da cidade, transmitida em um carro de som, em frente à Escola Municipal Dante Gazzetta, no Centro da cidade. O evento aconteceu por volta das 10h30 do dia 2 de outubro, enquanto eram realizadas as eleições. O vídeo do foi utilizado como prova.

Revista L – BC.1
Liberal Motors – BC

Nas audiências, Bill justificou que não percebeu que o veículo estacionado nas proximidades estava com o som ligado e que assim que soube do fato interrompeu a entrevista. Ele afirmou também que se limitou a responder às perguntas que lhe eram feitas e classificou algumas delas como constrangedoras. O prefeito explicou também que não houve qualquer manifestação de pedido de voto.