Ônibus elétrico agrada passageiros de Hortolândia

A cada parada, passageiros e pedestres aproveitavam para fazer selfies ou fotografar o coletivo sustentável


Em sua primeira viagem como parte da frota municipal de Hortolândia, o ônibus elétrico K9 foi tratado como “estrela” pela população. O ar futurista aliado ao letreiro de “100% elétrico” chamou atenção dos passageiros e pedestres, que a cada parada aproveitavam para fazer selfies ou fotografar o coletivo. O LIBERAL acompanhou a primeira viagem do modelo ecologicamente correto no início da tarde desta segunda-feira e anotou os prós e os contras da novidade na região.

Único na cidade, o modelo K9 cumpriu com o silêncio prometido. Discreto, o barulho do motor lembra uma turbina. Mais baixo que o concorrente a diesel, o ônibus elétrico também é superior com relação à sutileza. Estando mais próximo do asfalto, o modelo desliza na via evitando desta forma socos e trancos, típicos das freadas e paradas. “É bom para o meio ambiente, é mais silencioso, dá até para conversar, mas o calor é igual ao do outro. Como é a primeira viagem, percebo que fará o percurso num tempo maior, em uns 50 minutos. Vamos ver também se os motoristas vão continuar atenciosos e se irão arrumar as ruas para ele passar”, comentou a secretária Thaís Hellen Gomes da Silva, de 19 anos, atenta as saídas de ar-condicionado, que estavam sem funcionar.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Ônibus circulou pela primeira vez na cidade e será testado durante 60 dias

Do lado dos contras o ônibus elétrico conta com menos bancos. A atendente Cláudia Mariano Santos explica que achou o modelo menor. “São menos bancos e estava bem lotado no Centro”, explicou. “Ele é silencioso, tranquilo, mas tinha muita gente em pé”, pontuou.

O tempo de percurso também não agradou os usuários. Para fazer o trajeto Centro-Jardim Amanda o ônibus levou cerca de 1h30 para retornar ao ponto de partida, no Terminal Metropolitano. “A força do carro não tem comparação com a do outro e a gente fica menos cansado para dirigir. Em mais duas ou três viagens já estarei bem adaptado”, comentou motorista Fábio Luiz Carvalho, apontando os cuidados que devem ser tomados durante o trajeto, em especial com buracos e valetas, uma vez que o ônibus é mais baixo que o convencional.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
O ar futurista aliado ao letreiro de “100% elétrico” chamou atenção dos passageiros e pedestres

O secretário de Transportes de Hortolândia, Atílio André Pereira, disse que a prioridade é aumento no espaço. “É semelhante aos ônibus que vemos em aeroportos. Com maior espaço no salão as pessoas conseguem circular dentro do ônibus mais confortavelmente, inclusive favorecendo cadeirantes. Para viagens curtas é mais prático e confortável”, defendeu.

A nova tecnologia será testada pelos próximos 60 dias em todas as 18 linhas em operação na frota municipal. Nos primeiros dias da experiência, o veículo circulará na linha Centro-Jardim Amanda, juntamente com os outros três movidos a diesel. Neste período, os agentes da Mobilidade Urbana irão analisar se o coletivo conseguirá trafegar sem problema pela malha viária da cidade e se o consumo de combustível, nestas condições, será mais barato que o atual.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter