Crescimento de Hortolândia é o maior de toda RPT

Em 2016, o PIB do município avançou 3,06% contrariando a crise econômica do país, segundo dados oficiais do IBGE


Nesta sexta-feira, Hortolândia comemora 26 anos de fundação e com um dos maiores PIBs (Produto Interno Bruto) do país. Segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o município avançou da 84ª para a 80ª posição no ranking dos 100 maiores PIBs do Brasil, um aumento real de 3,06%. Os números se referem ao período de 2013 e 2014. Traduzindo em cifras, a riqueza gerada na cidade foi de R$ 9,8 bilhões para R$ 10,1 bilhões.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Dimas Correa Pádua, esse aumento se deve ao trabalho contínuo, iniciado em 2005, junto aos vários setores que compõem a economia da cidade, do industrial ao comercial e o imobiliário (o mais recente). “A ampliação de receita contribui com a criação de ferramentas públicas para viabilizar melhorias em infraestrutura, ampliar vias e investir em habitação, por exemplo, o que contribui para melhoria na qualidade de vida dos cidadãos do município e nos ajuda a atrair novos empreendimentos para a cidade”, comenta o secretário de Desenvolvimento.

A caçulinha da RPT tem desejo de ser “grande” e tem feito a lição de casa. “Até 2004 éramos vistos como o patinho feio da região, e hoje somos uma das principais economias do país e continuamos a pesquisar meios que possam melhorar ainda mais Hortolândia e torná-la um exemplo de desenvolvimento e progresso”, afirma Pádua.

Foto: Reginaldo Prado / Prefeitura de Hortolândia
Ponte Integração (ou Ponte Estaiada) faz parte do projeto de ampliação do corredor metropolitano

Autonomia
Nesses 26 anos, o presidente da AEAH (Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Hortolândia), o engenheiro químico Moisés Barbosa, destaca a captação das águas do Rio Jaguari, localizado em Paulínia como importante passo para a autonomia da cidade. “A cidade não possui rio de porte para realizar o abastecimento da população, que cresceu em progressão geométrica. A solução foi trazer água do Rio Jaguari e tratá-la no município”, comenta.

A água é captada pela Sabesp e tratada na ETA (Estação de Tratamento de Água) Boa Esperança, sob um volume de 800 litros por segundo. Hortolândia conta ainda com mais 13 reservatórios de água, em diversos pontos da cidade, com capacidade de reserva para 24.710 m³.

O Parque Remanso das Águas é estrutura comemorada pela população. A estrutura é composta por dois reservatórios de contenção de enchentes, o JAC-1 Sebastiana Athanasio Bueno e JAC-2 Sebastião Batista Pozza. Além de contribuir para prevenção de enchentes na região central, os reservatórios aumentam a umidade relativa do ar – considerado um problema de saúde pública – e oferece lazer para a população, com pistas de caminhada, quadra poliesportiva e playground.

Transporte
Um dos desejos mais pungentes é garantir a mobilidade urbana, favorecendo a integração entre os quatro grandes núcleos habitacionais que compõe Hortolândia: Jardim Amanda, Jardim Rosolem, Jardim Santa Clara e Centro. A duplicação da Avenida da Emancipação e a Ponte da Integração simbolizam os esforços sobre esse projeto. A ponte faz parte das obras de ampliação do Corredor Metropolitano Noroeste Vereador Biléo Soares e visa facilitar o escoamento da produção industrial pela SP 101 e o fluxo de carros pela cidade, em especial entre as zonas Leste e Oeste. “O corredor metropolitano é uma grande conquista da cidade, mas só estará completa quando forem acionadas as linhas de ônibus que, de fato, ligarão os núcleos até os terminais de ônibus e ao próprio corredor. O transporte público é primordial para a integração desses núcleos e acesso da população aos serviços e órgãos públicos”, diz Barbosa.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter