Assassino de ex-mulher e filha tem a pena reduzida pela justiça

Crime aconteceu em 2014, em Hortolândia; confissão fez pena de Silvério Lúcio Ribeiro cair de 22 para 19 anos


O Tribunal de Justiça acatou parcialmente o recurso movido pela defesa do supervisor de produção Silvério Lúcio Ribeiro, de 39 anos, que em 2014 matou a ex-esposa e a filha a facadas, em Hortolândia.
Ele ficou um ano foragido, se entregou em 2015 e foi condenado a 22 anos e 10 meses de prisão em janeiro de 2017. A pena, contudo, foi reduzida para 19 anos e 2 meses, uma vez que o acusado confessou espontaneamente o crime.

A sentença refere-se apenas ao assassinato da gerente de compras Rosângela Marques dos Santos, de 31 anos. O supervisor ainda responderá pela morte da filha Alícia, de 3 anos. O processo que trata do assassinato da menina ainda tramita na Justiça de Ubatuba.

Foto: AAN_Divulgação
Silvério, após se entregar, em 2015; ele ainda responde pela morte da filha, em processo que tramita em Ubatuba

ALEGAÇÕES

A defesa do acusado apelou para realização de exame de sanidade mental e novo julgamento, alegando que Ribeiro não teve a intenção de matar a vítima, portanto, o crime deveria passar de homicídio para lesão corporal seguida de morte. O Tribunal de Justiça, no entanto, indeferiu os pedidos e disse que o acusado estava plenamente consciente quando cometeu o crime. “Sequer emergiram dos autos indícios que pudessem confirmar a ausência de discernimento por parte do apelante. Ao revés, evidenciaram todos os elementos de convicção carreados aos autos que agiu plenamente consciente da sua bárbara conduta”, traz trecho do acórdão assinado pelo relator Fernando Torres Garcia.

Em outro trecho, o magistrado diz que o homicídio foi cometido com “emprego de meio cruel, uma vez que o acusado desferiu diversas facadas contra a vítima, o que lhe causou a morte com acentuado sofrimento”.

CRIME

Ribeiro está preso desde maio de 2015, quando se entregou à Polícia Civil, na Penitenciária de Tremembé. Ele confessou o crime e disse que matou a vítima por ela ter dito que havia o traído. Os dois estavam separados há dois anos.

Rosângela foi morta no dia 5 de maio de 2014, em casa, no Jardim Santa Amélia, em Hortolândia, com golpes de faca. No dia do crime, uma vizinha da vítima relatou ter ouvido gritos na residência e visto o acusado deixando o local levando a criança.

Na época, o supervisor de produção morava no bairro Matão, em Sumaré, e disse aos vizinhos que a ex-esposa estava tendo uma convulsão. Um dia depois, durante o velório de Rosângela, a filha do casal foi encontrada morta, em uma estrada que liga a BR-101 (Rodovia Rio-Santos) à praia de Ubatuba.

O corpo da menina foi encontrado debaixo de uma cadeirinha de segurança, jogada no meio do mato, às margens da rodovia. Segundo a polícia, a criança tinha vários golpes de faca no pescoço.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter