Valor do IPVA 2018 já está disponível para consulta

Proprietários podem conferir na rede bancária e em página da Secretaria da Fazenda através do Renavam e placa


Os proprietários de veículos registrados no Estado de São Paulo podem conferir o valor do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) de 2018 em toda a rede bancária a partir desta quinta-feira. A consulta pode ser realizada nos terminais de autoatendimento, pela internet ou diretamente nas agências, bastando o número do Renavam do veículo.

Também é possível verificar diretamente no endereço www.valoripva2018.fazenda.sp.gov.br, mediante o número do Renavam e placa do veículo. O proprietário tem até a data de vencimento da placa para quitar o imposto em cota única, com desconto, ou pagar a primeira parcela do tributo.

Foto: Arquivo / O Liberal
Do dinheiro arrecadado por meio do IPVA cada município fica com a metade

A partir de janeiro, o contribuinte que desejar também pode optar pelo licenciamento antecipado e realizar o pagamento independentemente do número final da placa do veículo: em cota única, até o dia 22 de janeiro de 2018, com desconto de 3%; em cota única, até o dia 27 de fevereiro de 2018, sem desconto; até o dia 22 de março de 2018, relativamente ao pagamento da terceira parcela, quando tenha ocorrido a opção pelo parcelamento.

Quem deixar de recolher o imposto fica sujeito à multa de 0,33% por dia de atraso e juros de mora com base na taxa Selic. Passados 60 dias, o percentual da multa fixa-se em 20% do valor do imposto.

Alíquotas

As alíquotas do imposto permanecem inalteradas para 2018. Os proprietários de veículos movidos à gasolina e os bicombustíveis recolherão 4% sobre o valor venal. Veículos que utilizam exclusivamente álcool, eletricidade ou gás, ainda que combinados entre si, têm alíquota de 3%.

As picapes cabine dupla pagam 4%. Os utilitários (cabine simples), ônibus, micro-ônibus, motocicletas, motonetas, quadriciclos e similares recolhem 2% sobre o valor venal. Os caminhões pagam 1,5%. A redução do valor médio se deve à desvalorização dos veículos, já que muitos consumidores permanecem com veículos antigos em razão da impossibilidade de trocar por um carro novo.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter