Último dia de recadastramento lota administração

Apesar do recadastramento de túmulos no Cemitério da Saudade ter sido iniciado há dez meses, muitas pessoas deixaram para o último dia


Apesar do recadastramento de túmulos no Cemitério da Saudade ter sido iniciado há dez meses, muitas pessoas deixaram para o último dia em dar entrada no processo. A administração do local ficou lotada na manhã desta quinta-feira com a presença de dezenas de pessoas buscando informações e tentando comprovar a titularidade dos jazigos.

“Nos últimos três dias temos atendido mais de 120 pessoas por dia, ficando abertos até 19 horas”, revelou Márcia Siriani, administradora do cemitério.

“A maioria não fala nada, só chega e dá entrada no processo, mas muito dizem que não ficaram sabendo do recadastramento, que não leem jornal e nem assistem TV. Outra parcela é dos típicos brasileiros, aqueles que sabiam, mas deixaram para última hora mesmo”, relata a administradora.

Foto: Mariana Ceccon / O Liberal
Espaço do cemitério ficou pequeno para atender aos interessados nesta quinta-feira

O operador de tráfego Marcos Rogério Camargo, de 45 anos, diz que estava tentando fazer a regularização pela segunda vez. “Um vizinho da minha mãe nos avisou sobre isto (recadastramento) há 20 dias. Eu vim aqui antes, mas faltou documento”, relatou.

“Esperava que estivesse mais tranquilo o atendimento”, contou. O comerciário Carlos Mina, de 54 anos, ficou surpreso ao chegar na administração. “Eu fiz o meu recadastramento em dezembro, fui atendido na hora. Hoje vim pedir uma autorização de reforma e não achei que estaria tão cheio assim”, contou.

A prefeitura já precisou prorrogar o prazo uma vez. Inicialmente o Executivo faria o processo de julho a dezembro chamando os titulares de cada quadra, por vez. A segunda ação foi prorrogar o prazo até abril deste ano.

“No próximo dia 1º vamos publicar um edital com todas as sepulturas que não foram recadastradas, depois disso os proprietários terão 60 dias para reclamar os túmulos antes de a prefeitura anular a titularidade”, explicou Siriani.

Na semana que vem a prefeitura deve divulgar um balanço de quantas sepulturas foram regularizadas nos últimos meses. Em seguida o Executivo fará medição e renumeração física nos espaços, chegando assim à conclusão de quantas sepulturas existem de fato no campo, número ainda desconhecido e estimado em 11 mil.