‘Sumiço’ de empreiteiro intriga CEI do Cemitério

Darcy Vasselo disse que ajudaria vereadores a identificar sepulturas que foram vendidas, mas não foi ao local nesta terça-feira


O construtor Darcy Vasselo não participou, nesta terça-feira, da visita feita ao Cemitério da Saudade, em Americana, por vereadores que integram a CEI (Comissão Especial de Inquérito) criada na câmara para investigar a venda irregular de sepulturas no campo santo. Na semana passada, durante reunião no prédio do Poder Legislativo, ele se comprometeu a ajudar os parlamentares na identificação dos túmulos nos quais teve participação na venda.

Para o relator da comissão, vereador Celso Zoppi (PT), a ausência de Vasselo foi “proposital”. O petista, inclusive, classificou o sumiço do construtor como “estranho”. “Ou ele foi orientado a não comparecer ou está sendo pressionado”, declarou Zoppi à reportagem do LIBERAL.

No depoimento que prestou à CEI na semana passada, Vasselo disse que, em 2008, foi coagido por funcionários públicos e ex-administradores do cemitério a participar do esquema, recebendo o dinheiro da venda das sepulturas dentro de seu escritório e repassando os valores, em espécie, diretamente aos servidores. O preço cobrado por sepultura chegou a até R$ 22 mil.

Foto: Dener Chimeli / O Liberal
Somente nas quadras 13 e 14, foram apontadas 29 sepulturas irregulares no Cemitério da Saudade

Nesta terça-feira, após aguardar, em vão, pela chegada do construtor, assessores dos vereadores estiveram na sede da empresa, que fica ao lado do cemitério, e foram informados por funcionários que Vasselo não compareceria ao encontro e não tinha horário para retornar.

Para não “ficar na mão”, sem a presença do construtor, a comissão de inquérito pediu para que funcionários do cemitério que atuam há muitos anos no campo santo, cooperassem com as investigações, apontando quais túmulos estavam em situação irregular. Informalmente, os servidores contaram que eram afastados das atividades administrativas, mas que sabiam de casos em que ossadas foram perdidas e títulos de concessão, transferidos. Somente nas quadras 13 e 14, foram apontadas 29 sepulturas irregulares, inclusive, boa parte delas por terem sido construídas irregularmente em avenidas e ruas do cemitério.

A reportagem também tentou contato telefônico com o construtor e sua advogada, porém, as ligações não foram retornadas. “Eu acho que foi proposital, não houve contratempo. Na semana passada, quando ele (Darcy) foi ouvido, eu mesmo cobrei que ele apontasse quais túmulos a Vasselo esteve envolvida na comercialização. Em um primeiro momento ele confirmou (a participação na visita) e hoje causou estranheza este sumiço. Ou ele foi orientado a não comparecer ou está sendo pressionado”, comentou Zoppi. “Como ele envolveu funcionários, ex-administradores, tudo pode acontecer. Quem mandou fazer essa escandalosa comercialização, causando prejuízo aos cidadãos em um momento de tamanha fragilidade, não tem escrúpulos. Estas mesmas pessoas também não teriam escrúpulos para mandar recados e deixar claro que se o [Darcy] viesse, teria consequências”, completou o vereador.

Liberal Motors – BC
Revista L – BC.1

Na semana passada, Vasselo declarou que procurou os integrantes da CEI por vontade própria, na tentativa de esclarecer os fatos, já que há mais de um mês o alvará de sua empresa está bloqueado e a prestação de serviços dentro do cemitério, proibida. A previsão da CEI é que dentro de 40 dias seja apresentado relatório final do trabalho.