Solo urbanizado é ambiente ideal para escorpiões, diz Vigilância

Os bairros de Americana com mais acidentes este ano foram Vila Amorim, Vale das Nogueiras e Salto Grande


Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Equipes da Prefeitura da Americana fazem captura com lâmpadas ultravioletas

Em tempos de pedintes usando escorpiões para ameaçar motoristas e de diversos acidentes registrados com o aracnídeo – inclusive a morte de uma criança, em agosto – é normal e até esperada a apreensão por parte da população. O problema, entretanto, não é de agora. Pelo contrário, é histórico e pode ser explicado: o tipo de solo de Americana e o fato da área da cidade ser praticamente toda urbanizada, criam um ambiente perfeito para o escorpião.

Conforme dados do PVCE (Programa de Vigilância de Carrapatos e Escorpiões) de Americana, desde 2006, foram capturados 84.763 escorpiões na cidade, e deste total, 50.772 foram encaminhados ao Instituto Butantan, para produção de soro antiescorpiônico. Grande também é o número de acidentes registrados. Em 2017, até agosto, foram 237. Nos últimos dois anos, a cidade teve praticamente um acidente por dia, também segundo dados da prefeitura. Em 2017, os bairros mais afetados foram a Vila Amorim, Vale das Nogueiras e Salto Grande.

De acordo com o coordenador da Vigilância Ambiental em Saúde de Americana, Antonio Jorge da Silva Gomes, que atua no setor há mais de 20 anos, a situação é acompanhada e as capturas feitas desde a década de 1980. A atenção ao problema é antiga, justamente porque a situação é histórica. “É uma característica geral do tipo de solo de Americana. E Americana é totalmente urbana. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), somente 2% da área é rural. A urbanização pode causar esse tipo de problema, porque acaba propiciando o criadouro para o escorpião”, afirmou Gomes. Ele explicou que os escorpiões se beneficiam do acumulo de entulho, galhos, madeiras, e outras coisas que propiciem sombra e umidade.

Foto: Arquivo / O Liberal
Nos últimos dois anos, Americana teve praticamente um acidente por dia

Para tentar amenizar essa situação, há anos a prefeitura realiza a captura de escorpiões nos bairros de maior incidência e número de reclamações, e também nos dois cemitérios da cidade. “Nesses anos todos, as capturas foram sendo modernizadas. Hoje, nós temos a equipe do PVCE que faz uma captura muito eficiente com lâmpadas ultravioleta”, explicou.

A luz ultravioleta é refletida pelo exoesqueleto do escorpião, segundo Gomes, e faz com que ele seja visto à noite e facilmente capturado. Essa luz é ideal porque não afasta os escorpiões, que têm hábitos noturnos. Os trabalhos de capturas são feitos uma vez na semana, sempre no período noturno.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter