Quase metade dos ‘ônibus públicos’ tem mais de 10 anos de fabricação

Pelo menos 15 de 84 veículos devem ser trocados em Americana, já que contrato prevê idade máxima de 12 anos


Quase metade dos ônibus do transporte público de Americana tem mais de 10 anos de fabricação. A informação consta em um relatório de vistoria da Unidade de Transportes da prefeitura enviado em resposta a um requerimento do vereador Juninho Dias (PMDB).

O documento, datado de 31 de maio, mostra que há 15 ônibus que só podem rodar até o final deste ano. A legislação, segundo informações da prefeitura, diz que a idade máxima de cada veículo não pode ultrapassar os 12 anos. Dos 43 ônibus da VCA (Viação Cidade de Americana), nove foram fabricados em 2005. Já entre os 41 da VPT (Viação Princesa Tecelã), são 6 com 12 anos de fabricação. Os ônibus mais velhos são alvos de reclamações dos usuários. A substituição destes veículos, segundo a administração, é uma condicional para que haja o reajuste no preço das passagens pedido pelas
concessionárias do transporte público na cidade.

As passagens custam R$ 3,50 atualmente, mas para os usuários que dependem dos veículos, sobretudo os mais antigos, o preço não tem compensado. “Tem banco quebrado, às vezes chove dentro. É muito desgastante para nós que dependemos do ônibus. Não vale o preço que a gente paga”, reclamou a estagiária Jossy Laysse, de 19 anos. “No meu bairro, Jardim Boer, só tem um ônibus por hora. Se quebra não tem outro, e ele vive quebrando sempre”, criticou.

Foto: Arquivo / O Liberal
Segundo informações do secretário adjunto e autoridade de trânsito na cidade, Eraldo Camargo, a prefeitura já intimou as empresas para que realizem as trocas dos ônibus acima dos 12 anos

Para o funcionário público Adenilson da Silva, de 48 anos, os ônibus mais antigos são desconfortáveis. Ele defendeu a troca. “Tem ônibus que é meio derrubado, os mais antigos principalmente. Os vidros balançam, faz uma barulheira danada, tem banco meio solto também”, relatou o passageiro. A Prefeitura de Americana informou que vem notificando as empresas a solucionarem a situação da frota. Na semana passada, segundo a administração, houve uma reunião entre o prefeito Omar Najar (PMDB) e concessionárias para tratar de pendências como a idade da frota, condição dos veículos, abrigos em pontos e dívida com o município.

Em janeiro houve um pedido de aumento no valor da passagem – para R$ 4,54 – mas segundo o Executivo, o prefeito só aceita iniciar conversações a respeito do assunto no momento em que as empresas cumprirem o que se comprometeram a regularizar no ano passado, ocasião em
que houve o aumento.

Segundo informações do secretário adjunto e autoridade de trânsito na cidade, Eraldo Camargo, a prefeitura já intimou as empresas para que realizem as trocas dos ônibus acima dos 12 anos, e vem fazendo apontamentos periódicos para que se melhore as condições da frota atual. A reportagem tentou contato com as empresas, mas não houve retorno.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter