Procura por vacina despenca e prefeitura muda esquema

Para evitar desperdício de doses, a partir de segunda imunização será feita em horário reduzido e a UBS do Parque Gramado deixará de vacinar


A procura por doses de vacina contra febre amarela caiu 80% no último mês de julho, em comparação com os meses em que houve correria por conta do surto da doença no País. Para evitar desperdício das doses, a Vigilância Epidemiológica mudou o esquema de vacinação e, a partir de segunda-feira, as vacinas serão aplicadas em um horário reduzido e a UBS (Unidade Básica de Saúde) Parque Gramado deixará de oferecer a imunização.

Após aberto, um frasco com vacinas tem validade de no máximo seis horas. De acordo com a Unidade de Atenção à Saúde, houve ocasiões em que foi aplicada apenas uma dose durante o dia e, como não houve procura de outro paciente, o restante da vacina contida no frasco precisou ser descartada. Em função disso, a prefeitura decidiu pela mudança no atendimento.

“A procura pela vacina está muito baixa e nós tivemos que readequar o horário para evitar o desperdício de doses”, explicou Leda Maria Ribeiro, subsecretária da Unidade de Atenção à Saúde.

Foto: Divulgação
Prefeitura de Americana alterou esquema de vacinação para evitar o desperdício de doses

Com as mudanças no esquema, a vacina será aplicada das 9h às 15h em uma única unidade de saúde em cada dia da semana. Na segunda-feira estará disponível no Jardim São Paulo; na terça no São Domingos; na quarta no São Vito; na quinta no Jardim Ipiranga e na sexta-feira no Jardim Brasil. Serão distribuídas 50 senhas por dia.

No auge da procura pelas vacinas, em fevereiro, a prefeitura adotou um esquema de distribuição de senhas às 7h30 ou às 13h, dependendo do dia da semana e do posto. Além disso, estavam disponíveis 150 senhas diariamente, divididas igualmente entre três unidades de saúde.

Doses

De acordo com a prefeitura, os meses com maior procura pela vacina na rede pública foram fevereiro, quando teve início o surto no país (2.677 doses), e em abril (2.117), mês em que um morador de Americana morreu infectado com a doença.

O caso foi tratado como importado porque o paciente, o representante comercial Ricardo Luiz Silveira, havia viajado para cidades como Amparo e Monte Alegre do Sul, que fazem parte do mapa de risco da doença e haviam registrado infecções na zona rural.

Entre fevereiro e julho, foram aplicadas 10.279 doses da vacina na cidade. Mesmo com a alta procura, Americana não esteve em campanha e seguia orientando a população conforme a recomendação do Ministério da Saúde – indicando a vacinação somente para pessoas que fossem viajar a áreas de risco.

A unidade de saúde que mais aplicou vacinas contra febre desde o início do ano foi a UBS do Jardim São Paulo – um terço das doses foi aplicada lá (3.483 doses). Segundo a prefeitura, isso ocorreu porque a unidade já era o local de referência à população para vacina contra febre amarela, já que antes do surto, a aplicação só ocorria ali.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter