Prefeitura faz duas propostas aos servidores públicos

Servidores terão de escolher entre aumento imediato ou elevação maior na cesta básica, mas com pagamento parcelado


Os servidores municipais receberam uma nova proposta da Prefeitura de Americana para o reajuste salarial deste ano.

Agora, a categoria poderá escolher entre contar imediatamente com o aumento de acordo com a inflação do período (11,28%) – tanto no salário quanto na cesta básica – ou optar por um aumento de R$ 150 na cesta básica, em três vezes, e a diferença salarial paga em duas vezes, sendo 5,64% a partir de janeiro e o restante em setembro.

Foto: Arquivo / O Liberal
Categoria vai escolher qual proposta é mais vantajosa

Com a primeira proposta, a cesta básica dos servidores passaria de R$ 400 para R$ 445 a partir de 1º de janeiro e todos os funcionários teriam direito a 11,28% de uma só vez nos salários.

Para aliviar o caixa da prefeitura, na segunda alternativa o Executivo oferece um bônus para os servidores. A cesta passaria a valer R$ 450 a partir de janeiro, seria reajustada para R$ 500 em julho e chegaria a R$ 550 em setembro. Já o salário ganharia um reajuste automático de 5,64% agora e o restante seria oferecido a partir de setembro.

A proposta negociada pelo SSPMA (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Americana) oferece para a categoria um aumento imediato que pode ser vantajoso para os que possuem maiores salários frente a um aumento real na cesta básica, alternativa que pode ser mais interessante para os que recebem menos.

“Todos os anos é assim, mas temos de entender que votamos como uma categoria que inclui tanto médicos, advogados, como coletores, atendentes, auxiliares e portanto não dá para diferenciar o aumento de um e do outro”, comentou o presidente da entidade Antonio Forti.

Vale

A segunda proposta da prefeitura ainda resgata o antigo sistema de vale, mais uma bonificação para que os servidores aceitem o parcelamento. De acordo com o documento assinado pelo prefeito Omar Najar (PMDB), os funcionários terão direito a até 40% dos salários no dia 20 do mês e a diferença no quinto dia útil do mês seguinte.

“Vai ser praticado um adiantamento de 30% a 40% a critério da administração e dos recursos disponíveis e o restante será entregue até o 5º dia útil do mês subsequente. Isso não quer dizer que o salário vai ser parcelado”, frisou Forti.

A partir de hoje até no máximo quinta-feira da semana que vem, o sindicato deve visitar os setores para que a categoria possa votar em uma das duas opções e esclarecer as dúvidas dos servidores. Se forem aceitas, uma das propostas será levada até a câmara para votação.

Os pagamentos com o novo reajuste só deverão ser feitos em abril, já que o prazo para votação e conclusão até o pagamento de março já foi estourado.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter