Mudança na Nota Fiscal Paulista preocupa entidades assistenciais

Novo sistema para o repasse de cupons e créditos faz instituições em Americana buscarem alternativas para funcionar


Vídeo:

Desde o início deste ano, as caixinhas solidárias, comuns em restaurantes, lojas e supermercados, perderam sua “função social”. O motivo é a mudança na Nota Fiscal Paulista que proíbe que entidades assistenciais recolham os cupons e registrem em seu CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) para se beneficiarem dos créditos.

Agora, apenas o contribuinte pode fazer esse lançamento. Com isso, as entidades temem perder parte dessas doações dos recibos fiscais.

“Muitas instituições abriam empresas apenas para fins fraudulentos. O Estado detectou isso e mudou o formato”, explica a presidente da Aescon (Associação das Empresas de Serviços Contábeis de Americana), Elza Cassitas Sferra.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
O Lar dos Velhinhos, em Americana, idosos têm ajuda para retomar movimentos perdidos ou reduzidos por conta da idade

Antes das mudanças, os consumidores que queriam colaborar, e que optavam por não registrar o CPF (Cadastro de Pessoa Física) no momento da compra, poderiam depositar o cupom fiscal em uma caixa que era deixada nos comércios. Os cupons eram recolhidos pela entidade.

Outra opção, que passou a funcionar em novembro, era o cadastro do CPF do consumidor no site da Secretaria Estadual da Fazenda, o que permitia a doação direta às entidades no momento da compra.

Com a mudança no sistema da NFP, as entidades já não conseguem mais lançar as notas fiscais de outros consumidores, o que tem provocado uma redução na arrecadação de doações.

Quem deseja continuar com as colaborações deverá agora cadastrar seu CPF no site da Secretaria da Fazenda, na opção Nota Fiscal Paulista, e escolher uma instituição parceira. Dessa maneira, toda compra que for realizada, e que for registrado o número do documento do consumidor, o crédito será encaminhado automaticamente à entidade.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Coordenadora do Lar dos Velhinhos busca parcerias e doadores

CAMPANHA. Para driblar os impactos da mudança, o Lar dos Velhinhos “São Vicente de Paulo”, de Americana, lançou a campanha “Sou Amigo do Lar”, que envolve exatamente a destinação dos valores da Nota Fiscal Paulista.

“A gente sabe que na correria do dia a dia as pessoas acabam esquecendo de cadastrar. Muitas vezes descartam os cupons e para a gente faz muita falta esses créditos”, explica a coordenadora do Lar dos Velhinhos, Suellen Estevam Bortolotti.

A saída, segundo ela, seria o cadastro automático da entidade para a doação. “Estamos buscando outras parcerias para aumentar a contribuição e a destinação dos cupons nos ajuda muito. Recebemos um repasse da prefeitura, mas as doações são importantes para que o Lar não feche as portas”, explica a Suellen.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
O Lar dos Velhinhos em Americana atende, atualmente, 40 idosos

No Benaiah, em Americana, os créditos da NFP ajudaram na construção da nova sede do grupo, no Jardim Terramérica. Segundo o presidente da entidade, Hélio de Oliveira Camargo, 90% dos gastos foram financiados com os cupons.

“Agora, começa um novo desafio. Eu acho que a gente vai conseguir recuperar esses valores”, prevê Hélio, sobre os impactos da mudança. A ideia, de acordo com o presidente, é trabalhar no convencimento individual dos doadores.

TRABALHO. O Lar dos Velhinhos em Americana atende, atualmente, 40 idosos. Esses atendimentos são realizados graças a parcerias de empresas privadas e apoiadoras do Lar, segundo a supervisora de geriatria da entidade, Júlia Raquel Negri.

“Todas as verbas que são recebidas pelo Lar nos ajudam, seja em dinheiro, roupas, alimentos, parcerias, serviços voluntários, tudo isso auxilia no atendimento dos nossos moradores”, afirma a coordenadora Suellen Bortolotti.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!