MB diz que distância entre aterros não é significativa

Prefeitura quer renegociar preço pago no transporte de lixo, uma vez que resíduos estão sendo descartados no Pós-Represa e não mais em Paulínia


Diante da intenção do prefeito Omar Najar (PMDB) de tentar reduzir os valores para o transporte do lixo, já que houve mudança do aterro de Paulínia para o instalado no pós-Represa, a MB Engenharia, que faz a coleta e o transporte, informou ao LIBERAL que não considera a diferença dos dois destinos tão significativa, mas que irá analisar as possibilidades.

Omar falou sobre o pedido de revisão dos valores na semana passada. O município paga R$ 146,50 por tonelada para a MB Engenharia levar os resíduos. Esse preço, entretanto, foi calculado com o aterro da Estre como destino final. Para o prefeito, o valor precisa ser revisto, já que a distância é menor, e não há pedágios no trajeto.

A reunião com a MB deve ocorrer após o recesso, mas a empresa já adiantou que foi procurada informalmente pela prefeitura. “Todas as vertentes desta mudança serão avaliadas e discutidas antes de qualquer alteração no preço unitário”, escreveu o gerente de divisão da MB, Alan Franco.

“Temos a esclarecer que a operação de transporte e as planilhas de custos serão analisados cuidadosamente em relação ao novo cenário, mas salientamos que a diferença de distância não é tão significativa como retratado”, trouxe a nota.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!