Lar dos Velhinhos procura por empresas para parceria

Lar Vicente de Paulo busca novos parceiros para garantir assistência mais ampla aos idosos de Americana


O Lar dos Velhinhos “São Vicente de Paulo”, fundado em Americana há 47 anos, tem uma trajetória marcada pela assistência social em benefício, principalmente, de famílias carentes. Mas a instituição, que sempre sobreviveu das colaborações pontuais e serviços profissionais voluntários, agora aposta em um novo projeto: firmar parcerias com entidades da sociedade civil. Empresas mantenedoras, por exemplo, vão ajudar a administração a quitar despesas que, mensalmente, passam dos R$ 100 mil. Se pensa em criar uma “rede de caridade” que garanta o serviço de excelência prestado aos 40 internos.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Entidade cuida hoje de 26 mulheres e 14 homens; despesa chega a R$ 100 mil mensais, segundo dados fornecidos pela direção

O projeto, segundo o diretor Dângelo Augusto, prevê assistência ainda mais abrangente. Pelo conceito da Casa Abrigo, vovós e vovôs que precisam de algum lugar para passar o dia terão um espaço gratuito e equipado, enquanto seus filhos e filhas estiverem trabalhando. “Com a ajuda da comunidade, vamos reduzir despesas e ampliar os serviços”, aposta o diretor. “A responsabilidade social se tornou um valor corporativo. Cada vez mais, quem produz se empenha em ajudar. E quando todos se envolvem, a realização é sempre maior”, completa.

O SERVIÇO. Hoje vivem no Lar dos Velhinhos 26 mulheres e 14 homens. Não há distinção alguma de condição social ou religião. Muitos dos internos são lúcidos, ativos física e culturalmente, e não precisam da ajuda para banhos, refeições e passeios. Mas o apoio especializado é essencial para os que já não são saudáveis. Trabalham nesta e em outras duas obras sociais do grupo – uma creche e um centro de convivência – 59 funcionários. São assistentes sociais, secretárias, enfermeiras, auxiliares de lavanderia, motoristas, cozinheira e pedagogas.

Existem, sim, repasses periódicos de custeio, feitos pela prefeitura. Essencial, no entanto, é o apoio do voluntariado, que ampara os idosos em atividades corriqueiras. Há voluntários que passam por lá apenas para ouvir, conversar, confortar. São barbeiros, manicures, pedicures, estagiários se serviço social, fisioterapia e enfermagem. A remuneração deles é ter o prazer de compartilhar, com os velhinhos, histórias de vida. O Lar dos Velhinhos foi fundado no dia 2 de agosto de 1970. A construção da sede, iniciada logo no mês seguinte, só acabou em agosto de 1978. O que nunca mudou foi o perfil institucional do espaço: é uma entidade civil, de direito privado, beneficente, filantrópica e assistencial, sem fins lucrativos.

O abrigo é oferecido a pessoas com idade a partir de 60 anos, de ambos os sexos. A diretoria é formada por vicentinos do Conselho Central de Americana. A missão principal do Lar, diz o diretor Augusto, é resgatar ou preservar a identidade da pessoa idosa, para que ela não se sinta abandonada, sem a família ou sem amigos. Os interessados em integrar o grupo mantenedor do Lar dos Velhinhos podem entrar em contato com o Serviço de Atendimento a Empresas (SAE) pelo e-mail coordenacao.velhinhos@gmail.com ou pelo telefone (19) 3461-1449.