Homem recebe pena por ter galos para rinha

Justiça de Americana condenou um morador de Americana a pouco mais de 10 meses de detenção em regime semiaberto, mas ainda cabe recurso


A Justiça de Americana condenou um morador da cidade – José Celival de Oliveira – a pouco mais de 10 meses de detenção em regime semiaberto por manter em casa galos para rinha. Em novembro de 2012, a Polícia Civil apreendeu na residência dele, no bairro Cidade Jardim, dez aves com sinais de maus tratos. Também foram recolhidas sete galinhas, 30 frangos e um pássaro da fauna silvestre. O acusado nega o crime. A sentença foi publicada nesta quinta-feira e ainda cabe recurso.

Policiais chegaram até a residência de Oliveira, na Rua dos Cactos, após denúncia anônima de que no local haviam aves usadas em rinhas. No mesmo imóvel, também foram encontrados medicamentos e anabolizantes, possivelmente aplicados nos galos que participavam das competições. As aves eram mantidas em gaiolas na varanda e estavam com ferimentos pelo corpo.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Diante das provas, o juiz Fabio D’Urso decidiu pela condenação do morador em 10 meses e 15 dias de detenção, em regime inicialmente semiaberto

Em juízo, Oliveira assumiu que os galos apreendidos eram seus, porém, negou que o pássaro silvestre lhe pertencia. Afirmou ainda que as aves não estavam machucadas nem eram criadas para briga e negou a utilização dos anabolizantes. Declarações de médicos veterinários, no entanto, deixam claro que os galos que pertenciam ao acusado apresentavam ferimentos característicos de maus tratos e que alguns tinham, inclusive, suas esporas cortadas, prática comum em aves usadas em competições ilegais.

Atestado da médica veterinária responsável pelo recebimento dos animais no CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) de Americana, na data da apreensão, revela que todos os galos apresentavam comportamento agressivo, sendo necessária a separação deles em gaiolas individuais.

Diante das provas, o juiz Fabio D’Urso decidiu pela condenação do morador em 10 meses e 15 dias de detenção, em regime inicialmente semiaberto. O magistrado não aceitou transformar a pena em serviços comunitários, uma vez que o acusado é reincidente. A reportagem do Grupo Liberal tentou contato com o advogado que defende Oliveira, Jairo Josef Camargo Neves, mas foi informada por uma funcionária do escritório que ele não se manifestaria sobre o caso.

Recente

Na manhã do último sábado, dia 13, policiais militares flagraram uma rinha de galo em Cosmópolis. No total, 28 galos foram apreendidos e 71 pessoas detidas, entre elas um guarda municipal de Santa Bárbara d’Oeste.

A competição ilegal acontecia em uma chácara localizada no bairro Núcleo Campos Salles. Além das aves, foram encontrados objetos utilizados para a prática de rinha, medicamentos e hormônios para animais.

A Prefeitura de Santa Bárbara informou, por meio de nota, que a Corregedoria da Guarda Municipal iria instaurar uma sindicância para apurar a conduta do patrulheiro detido na ocorrência. No entanto, durante o processo o guarda poderá seguir na função.

Além de responder judicialmente, os suspeitos terão de pagar multa de R$ 3 mil por ave. Portanto, cada infrator foi autuado em R$ 84 mil.