Grupo reúne doações para festa de Natal

Evento vai beneficiar 126 crianças da Sasa, AAMA e do Lar Mãe Esperança e será no dia 5 de dezembro no salão de festas Colorê


O Natal é uma data alegre e festiva, para celebrar com a família e com os amigos, trocar presentes e aproveitar uma grande ceia. E é pensando em proporcionar estes prazeres para crianças carentes de Americana que um grupo está organizando uma festa de Natal no dia 5 de dezembro, para as crianças da Sasa (Sociedade de Assistência Social de Americana), da AAMA (Associação de Assistência ao Menor de Americana) e do Lar Mãe Esperança.

Para a realização da festa, que reunirá 126 crianças, a organizadora Suelen Ruiz explica que o grupo recebe doações de salgados, pães, bolos, patês, refrigerantes, sucos e doces no geral, além de brinquedos novos que serão os presentes dos pequenos. Quem quiser ajudar as instituições com as demandas diárias também pode doar itens de higiene pessoal, alimentos não perecíveis, leite, produtos de limpeza e roupas ou brinquedos usados, mas bem conservados. As doações podem ser entregues no salão de festas Colorê, no bairro Frezzarim, onde será a festa de Natal, ou diretamente para a Suelen, que atende no número (19) 99338-0562.

Foto: Divulgação
Neste ano, o grupo também promoveu uma festa de Páscoa

De acordo com ela, toda doação é bem-vinda, mas a presença de voluntários no dia da comemoração vale mais ainda. “Quem tem contato com essas crianças sabe o quanto eles são carentes e, acredite, nem é tanto de brinquedos, é mais de um abraço, de um carinho, um beijo, de preocupação. Todo contato, carinho e amor é essencial para eles. E a doação é uma dádiva, quanto mais a gente dá, mais a gente recebe”, diz ela.

A intenção é promover festas para as crianças carentes do município em todas as datas comemorativas, segundo ela. Esta é a terceira edição do evento, que também aconteceu na Páscoa deste ano.

A dinâmica da festa é sempre a mesma: “No começo elas ficam um pouco tímidas, acanhadas, elas não estão acostumadas. Mas isso é nos primeiros 5 minutos, depois eles começam a se soltar, e quem já conhece a gente já chega feliz. Eles dão mais carinho para a gente do que a gente para eles. E começamos a brincar, como em qualquer festa infantil, com recreação, com gincana e dançamos bastante”, conta Suelen.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter