Em Taubaté, moradora de Americana morre de gripe

Paciente estava na casa de um familiar na cidade de Taubaté há 30 dias e durante esse período passou mal


Uma mulher de 58 anos, moradora do Jardim Mirandola, em Americana, morreu em função de uma gripe, segundo a Secretaria de Saúde. Ela esteve no município de Taubaté pelo período de um mês, contraiu a doença e morreu naquela cidade. A pasta, portanto, trata o caso como importado. Ela morreu em consequência da Influenza A. Esse vírus engloba diversos subtipos da doença, como a gripe suína e a aviária, mas o germe que a contaminou não foi identificado.

Segundo nota divulgada pela Prefeitura de Americana, a paciente morreu no dia 30 de março. Contudo, somente nesta quinta-feira a Vigilância Epidemiológica recebeu o resultado dos exames.

A Unidade de Atenção à Saúde informou que a paciente estava na casa de um familiar em Taubaté há 30 dias, e que durante esse período ela passou mal e foi encaminhada ao Pronto-Socorro Municipal de Taubaté. A prefeitura informou que a paciente era portadora de diabetes e sofria de pressão alta.

Foto: Arquivo / O Liberal
Apenas 45% do público-alvo recebeu doses da vacina contra a gripe até agora

Por conta disso, ela estava incluída no grupo de pessoas que têm maior risco de sofrer complicações.
A paciente não havia se vacinado contra a gripe este ano, já que viajou antes do início da campanha. Constava em sua ficha que ela foi imunizada no ano passado.

O município de Taubaté já registrou outros casos de morte pela doença este ano. De acordo com o último balanço divulgado pela prefeitura daquele município em março, pelo menos cinco pessoas morreram de gripe.

O método utilizado para detectar o Influenza na paciente moradora de Americana foi o exame histopatológico – ou seja, através da análise de amostra de células coletadas na área infectada – não sendo possível identificar o subtipo do vírus Influenza.

Balanço

A uma semana do encerramento da campanha de vacinação contra gripe, apenas 45% do público-alvo foi imunizado na RPT (Região do Polo Têxtil), o que represnta 96.774 moradores. A meta é imunizar, até o dia 26 de maio, 90% dos grupos prioritários – que na região somam 215 mil pessoas.

Até o momento, não houve nenhum caso confirmado de contaminação por H1N1, a gripe suína, na região. De acordo com informações das prefeituras, 14 casos seguem sendo investigados, sendo 11 em Hortolândia e três em Santa Bárbara d’Oeste.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter