Em Americana, criança morre com picada de escorpião

Segundo a família, Cauã Ferrari, de dois anos e meio, demorou quatro horas para ser medicado; ele foi transferido para Campinas, mas não resistiu


Foto: Arquivo pessoal
Cauã Ferrari de dois anos e meio demorou quatro horas para ser medicado

Uma criança de dois anos e meio morreu na manhã desta sexta-feira após ser picada por um escorpião em Americana. Cauã Ferrari foi levado às pressas para o Hospital Unimed em Americana, mas precisou ser transferido para uma unidade em Campinas por falta de leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Infantil. As informações foram publicados pelo tio da criança Cristiano Salles em suas redes sociais.

Na publicação ele conta que o sobrinho demorou quatro horas para tomar o soro antiescorpiônico e por isso, disse estar revoltado com a situação. “É com muita dor no peito, e sentimento de revolta que trago esta notícia muito triste para meus amigos. Cauã levou mais de quatro horas pra receber a dose do remédio contra picada de escorpião, em Campinas porque em Americana não existe UTI infantil. Dor no peito sem fim”, escreveu.

A família, que está em luto e organizando os ritos funerários não passou maiores detalhes de como aconteceu o acidente que vitimou Cauã. As primeiras informações é que a criança deve ser velada no Cemitério da Saudade e enterrada amanhã de manhã.

Questionada sobre o assunto, a Unimed disse que quando Cauã chegou até o hospital ainda não haviam informações de que os motivos das dores e choro seria picada de escorpião. “Ele recebeu toda assistência adequada, incluindo atendimento pelo médico plantonista e fazendo um ultrassom. A hipótese de ter sido picada por escorpião foi levantada pela equipe médica em função do quadro clínico.

A família relatou não ter visto o escorpião e não foi encontrado sinal de picada na criança”, escreveu em nota a assessoria de imprensa do hospital. “O soro foi então solicitado ao Hospital Municipal de Americana, a criança foi estabilizada e encaminhada para UTI Pediátrica em Campinas. Lá evoluiu para um quadro grave e foi a óbito. Todo o socorro foi prestado imediatamente”, finaliza o documento encaminhado pela empresa.

A cobertura completa sobre este caso estará disponível na edição deste sábado (12) do LIBERAL.