Cerca de 2,5 mil fiéis participam de celebração a Nossa Senhora

Um altar foi improvisado na carroceria de um caminhão, na área anexa ao Mercado Municipal, em Americana


Os fiéis católicos de Americana reviveram, nesta quinta-feira, uma tradição que atravessa décadas, e sempre emociona. Como acontece há mais de 50 anos, milhares de devotos compareceram à celebração pelo Dia de Nossa Senhora. O altar foi improvisado na carroceria de um caminhão, na área anexa ao Mercado Municipal, sob o Viaduto Amadeu Elias, no Centro. A festa deste ano foi ainda mais especial: comemorou os 300 anos do encontro da imagem nas águas do Rio Paraíba do Sul.

Uma solenidade marcada por cânticos e homilia precedeu a queima de fogos, contagiante. Durante cinco minutos, os morteiros com 25 baterias explodiram, ininterruptamente. O som, ouvido por toda a cidade, virou um símbolo do louvor à santa.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Celebração foi conduzida pelo reitor da Basílica, padre Leandro Ricardo, embaixo do Viaduto Amadeu Elias, no Centro

Moradores de diversos bairros foram até o Centro e acompanharam o evento de pertinho. Cerca de 2,5 mil católicos se espremeram para encontrar um lugar à sombra, sob o viaduto. O calor estava bravo. Mas a beleza da festa coroou todo o sacrifício.

Como todos os anos, a festa começou cedinho, com comerciantes do Mercadão e voluntários trabalhando na montagem do cenário. Os fogos foram todos dispostos no campo do Torino. Diante da carroceria improvisada como altar, cestos estavam tomados de bandeirolas e rosas vermelhas, distribuídas a cada fiel.

Falando ao público, o padre Leandro Ricardo, reitor da Basílica Santuário de Santo Antônio, afirmou que os católicos brasileiros devem se sentir agradecidos pela aparição da santa, há 300 anos.
Ele disse que as pessoas devem sentir cheias de júbilo, como Isabel, que recebeu Maria em casa, antes o nascimento de Jesus. “Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha me visitar?”, disse Isabel a Maria, em uma das passagens mais bonitas do Evangelho.

Depois da celebração, o padre afirmou que foi tocante ver, de cima do altar improvisado, tantos católicos cantando e acenando as bandeirinhas. “Em um tempo tão difícil, é lindo ver que os devotos são esperançosos, conseguem ver luz, acreditam em dias melhores, com a ajuda da Virgem Maria”, disse.

NOVO ALTAR

Os devotos de Aparecida voltaram a se encontrar no final da tarde, para uma procissão e uma celebração especial na Basílica. A mesma solenidade também marcou a inauguração do novo altar onde permanecerá disposta réplica oficial da imagem da santa, doada em 2013 pelo Santuário Nacional de Aparecida. Para o padre Leandro, a inauguração do novo altar fecha o ano mariano com chave de ouro. O altar entalhado, disse o padre, dá mais dignidade, mais amorosidade no louvor à santa.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter