Após mortes, avenida continua provocando queixas

Entre as principais reclamações estão a falta de calçada em determinados trechos, iluminação precária e mato alto em parte da via


Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Avenida Padre Oswaldo Vieira

A Avenida Padre Oswaldo Vieira de Andrade, no Parque Universitário, em Americana, continua alvo de queixas de motoristas e pedestres quase seis meses após um casal de idosos morrer atropelado. Entre as principais reclamações estão a falta de calçada em determinados trechos, iluminação precária e mato alto em parte da via.

A prefeitura foi questionada sobre as melhorias na via, mas não respondeu até o fechamento da edição. Em fevereiro, o local recebeu um radar de fiscalização de velocidade e mais nada.

A dona de casa Elizabeth Silva disse que a avenida está esquecida pelo poder público. “Você abre uma avenida, mas não faz calçada e corta o mato só até um pedaço? Vai esperar mais quantos morrer ali? Desde que o casal morreu já teve mais acidentes ali. Ninguém lembra que aquilo existe?”, reclamou Elizabeth, que mora naquela região. “Quem vem da Avenida Cillos e segue em direção pela ao bairro não tem visão para atravessar devido ao mato alto”, desabafou.

O casal Claudecir Mendes, de 65 anos, e Maria Aparecida Mendes, de 61, morreu em outubro do ano passado quando fazia caminhada na avenida. Eles foram atropelados por uma van escolar ao descer da calçada e irem para a rua para desviar de uma árvore.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!