Temer vai usar sonda por até três semanas

Presidente passou por uma cirurgia de baixo risco para corrigir um "estreitamento uretral"


Foto: Marcos Corrêa/PR
Temer deve ter alta nesta sexta-feira

Após passar por um procedimento cirúrgico, o segundo em dois meses, o presidente Michel Temer terá de usar uma sonda na uretra por um período de duas a três semanas, informou nesta quinta-feira, a equipe médica do peemedebista. O Palácio do Planalto afirmou que o presidente deve ter alta nesta sexta-feira do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, mas, por recomendação médica, terá de adiar a viagem que faria à Ásia em janeiro.

A previsão inicial era de que Temer teria alta ainda nesta quinta, mas o Planalto ressaltou que a recuperação poderia levar até 48 horas. A equipe médica informou, em entrevista coletiva, que a permanência do presidente no hospital é por segurança.

Em nota, a assessoria de Temer afirmou que os médicos que o acompanham avaliaram que ele tem tido “boa recuperação” após uma cirurgia de baixo risco para corrigir um “estreitamento uretral”.

Segundo os médicos Roberto Kalil Filho e Miguel Srougi, responsáveis pela cirurgia, a permanência por mais tempo de Temer no hospital foi requisitada como medida de precaução. Como toma remédios anticoagulantes desde antes de ser submetido à angioplastia, no mês passado, Temer está com o sangue mais fino e corre maior risco de passar por sangramentos, que são ocorrências típicas justamente da cirurgia à qual ele se submeteu.

Kalil e Srougi reiteraram que Temer é um paciente saudável, mas que, por causa da sonda, foi orientado a adiar a viagem a quatro países da Ásia, programada para o início de janeiro.

Internações

Esta foi a terceira internação do presidente nos últimos três meses. Em outubro, Temer passou pelo procedimento de raspagem da uretra após sentir desconforto ao urinar. No fim de novembro, foi submetido a angioplastia de três artérias coronárias com implante de stent – um tubo minúsculo e expansível – colocado na artéria para melhorar o fluxo sanguíneo para o coração.

Nesta quinta, por causa do procedimento em São Paulo, o presidente adiou os compromissos que tinha na agenda em Brasília. Entre eles estava a cerimônia de posse do novo ministro da Secretaria de Governo, deputado Carlos Marun (PMDB-MS). O evento foi reprogramado para esta sexta-feira, segundo a assessoria de Marun. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!