Promotoria investiga fraude em venda de combustível em posto da Lava Jato

O Posto da Torre, em Brasília, que serviu de inspiração para dar o nome da Operação Lava Jato, está sob…


O Posto da Torre, em Brasília, que serviu de inspiração para dar o nome da Operação Lava Jato, está sob suspeita, segundo o Ministério Público do Distrito Federal, de fraudar a venda de combustíveis a seus clientes, cobrando valor acima do que efetivamente era abastecido.

A 2.ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor (Prodecon) entrou com ação civil pública na Justiça para que o posto seja obrigado a ressarcir os consumidores e ainda pagar dano moral de R$ 100 mil. Na semana passada, o juiz Leandro Borges Figueiredo, da 8.ª Vara Cível do DF deu 15 dias para que o posto encaminhe as notas fiscais de todo o volume de combustível comercializado entre março e maio de 2014. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.