PEC do teto congela gastos essenciais para pagar juros, diz Capiberibe

O senador João Capiberibe (PSB-AP) manifestou posição contrária à PEC do teto e afirmou que a proposta favorece o pagamento…


O senador João Capiberibe (PSB-AP) manifestou posição contrária à PEC do teto e afirmou que a proposta favorece o pagamento de juros em detrimento do investimento em áreas básicas. “A PEC congela os gastos primários, essenciais, como saúde, educação, segurança, ciência e tecnologia, assistência social, previdência, mas deixa de lado o maior gasto da economia brasileira, que são os juros da dívida pública”, disse.

O senador defendeu que não há mais o que ser cortado da saúde e educação e pediu que o governo reveja o pagamento da dívida pública por meio de uma auditoria.

Já o senador Cidinho Santos (PR-MT) discursou a favor da PEC. “Há uma demagogia muito grande da oposição tentando ludibriar a opinião pública. Não sabia até então que a União podia gastar tudo o que quisesse. O governo só pode gastar aquilo que arrecadar, isso é o mínimo que se espera”, avaliou.

Para o senador, a partir da PEC, o governo terá que eleger prioridades no orçamento. “Na verdade, a PEC é apenas uma luz no fim do túnel, porque temos também que pensar nas reformas trabalhista e da Previdência”, acrescentou.