MTST ocupa tríplex do Guarujá, que motivou a prisão de Lula

O grupo estendeu faixas dizendo "Se é do Lula, é nosso", "Se não é, por que prendeu?" e "Povo sem Medo"


Manifestantes da Frente Povo Sem Medo, da qual faz parte o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparam na manhã desta segunda-feira o tríplex do Guarujá, no litoral de São Paulo, que motivou a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O grupo estendeu faixas dizendo “Se é do Lula, é nosso”, “Se não é, por que prendeu?” e “Povo sem Medo”. A ocupação do tríplex pelos manifestantes foi anunciada nas redes sociais do líder do MTST e pré-candidato do PSOL à presidência da República, Guilherme Boulos.

A possibilidade de militantes ocuparem o triplex do Guarujá havia sido citada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em um discurso após sua condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4º Região (TRF-4).

No dia 24 de janeiro, após ter seu recurso negado e sua pena aumentada para 12 anos e um mês de prisão, o ex-presidente fez um discurso na Praça da República, no centro de São Paulo, quando classificou a decisão judicial como uma “mentira” e negou mais uma vez ser dono do triplex.

“Se eles me condenaram me deem pelo menos o apartamento”, disse Lula, na ocasião. “Eu até já pedi para o Guilherme Boulos mandar o pessoal dele ocupar aquele apartamento. Já que é meu, ocupem.”

Leilão

O leilão do imóvel, pivô da condenação de Lula, está marcado para os dias 15 e 22 de maio. Na sentença que condenou o petista, o juiz Sérgio Moro afirmou que o registro da matrícula do imóvel estava formalmente em nome da empresa OAS, mas que os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro estavam configurados por meio de “ocultação e dissimulação”.

Lula sempre negou ser proprietário do apartamento.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!