Perondi: Maia deve rejeitar pedidos de impeachment

Vice-líder do governo na Câmara, Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse que presidente da Casa deve rejeitar pedidos de impeachment de Temer


O vice-líder do governo na Câmara, Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse nesta quinta-feira, 18, que o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), deve rejeitar todos os pedidos de abertura de processo de impeachment contra o presidente Michel Temer. É prerrogativa de Maia analisar a admissibilidade dos pedidos. “Ele, com certeza, vai rejeitar todos os pedidos”, disse Perondi.

O peemedebista afirmou ainda que o questionamento de aliados é normal, mas que Temer é habilidoso no diálogo com parlamentares. Sobre o PSDB especificamente, Perondi disse que “é óbvio que o partido tem dúvida, mas está firme no governo”. “É o Brasil dos novos tempos.”

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Câmara
Para vice-líder do governo na Câmara, presidente da Casa, Rodrigo Maia (foto), deve rejeitar todos os pedidos de impeachment de Temer

Mesmo que os tucanos desembarquem do governo Temer, Perondi garantiu que o PMDB seguirá no poder. Um dos parlamentares mais próximos ao presidente, Perondi disse ainda que Temer está indignado com as acusações e angustiado. “Como não ficar angustiado num momento desses?”, questionou.

“Moleque”

O vice-líder do governo na Câmara chamou o empresário Joesley Batista de “moleque” e “brasileiro escroto”. Joesley Batista, um dos donos da JBS, gravou conversa com Temer em que o presidente teria dado o aval para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) nas investigações da Operação Lava Jato.

“Ele é um moleque, um brasileiro escroto”, disse Perondi, logo após o pronunciamento do presidente, que afastou a possibilidade de renúncia ao cargo. De acordo com o vice-líder do governo na Câmara, Temer sequer cogitou a hipótese de deixar o posto. “Parece-me que ele tentou comprar a República”, acrescentou, buscando ligar Joesley aos governos do PT.

Perondi afirmou que o andamento das reformas trabalhista e da Previdência não muda e que elas são uma necessidade. “Estamos quase chegando aos números para aprovar a reforma da Previdência na Câmara”, ressaltou. “Talvez, as reformas ameacem os poderosos”, acrescentou.

Nesta quinta-feira mais cedo, porém, o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) suspendeu o calendário da reforma trabalhista. A previsão era apresentar o relatório na terça-feira, 23. “Isso é normal, a reforma trabalhista vai atrasar só um pouquinho”, afirmou o vice-líder do governo na Câmara.

Perondi buscou explicar como Joesley Batista se reuniu com Temer no Palácio do Jaburu, conforme mostraram as delações e foi confirmado pelo presidente nesta quarta-feira em nota oficial e nesta quinta em pronunciamento. “Esse empresário tentou agenda com Temer durante 60 dias e ele não quis recebê-lo. Aí, ele descobriu o telefone particular de Temer”, disse. “Ele atendeu, Temer atende a todos. Gentil que é, ele disse: ‘Venha cá’. Com certeza, foi uma cilada”, continuou.