Após entregar carta de demissão, ministro participou de cerimônia com ‘eleitores’

O agora ex-ministro das Cidades, Bruno Araújo, fez um discurso no Palácio do Planalto depois de já ter entregado ao…


O agora ex-ministro das Cidades, Bruno Araújo, fez um discurso no Palácio do Planalto depois de já ter entregado ao presidente Michel Temer a sua carta de demissão e trouxe ao Planalto alguns beneficiários do programa do seu Estado natal, Pernambuco. No discurso, Araújo afirmou que o “País responde com velocidade e governança” e que tinha sido testemunha disso. “Eu testemunhei isso nesse período no ministério”, afirmou. Em outra parte de sua fala, o então ministro disse que não tinha a menor dúvida de que deixava bons exemplos.

O evento desta segunda-feira, 13, foi agendado na semana passada depois de duas visitas canceladas pelo presidente Temer a Caruru (PE), que foi escolhida como espécie de cidade piloto do programa. Alguns aliados acusavam o então ministro tucano de usar o programa cartão reforma e outras ações das Cidades, que é uma pasta com bom orçamento e visibilidade, como palanque.

A cerimônia desta segunda-feira no Planalto foi marcada justamente pela presença da população comum, já que três moradores de Caruru foram trazidos para simbolicamente receber das mãos do presidente e do ministro o cartão reforma. Luiz Santos da Silva, Maria do Socorro da Silva Rosado e Valéria Ana da Silva representam os 150 moradores do bairro de São João da Escócia, em Caruaru (PE). Silva chegou a discursar no evento para agradecer o benefício que dará a cada família R$ 6 mil, em média. Temer ao agradecer a presença dos beneficiários se atrapalhou na hora de mencionar Luiz Santos e ficou alguns segundos “procurando” o seu nome.

Em sua fala, o presidente elogiou a atuação de Bruno Araújo e disse que ele tinha tido o cuidado de organizar a estrutura do benefício. “É com extraordinária alegria – alegria cívica, não é? -, que nós nos reunimos hoje todos em torno do Cartão Reforma, que é um dos pilares da nossa política habitacional, como ficou muito claro nas palavras do Bruno Araújo”, disse o presidente.

“Até eu relembro – viu, Bruno? – que logo no lançamento, nós tivemos um pré-lançamento, assinamos alguns termos, hoje a solenidade é de entrega. Ou seja, nós tivemos um cuidado extraordinário, o Bruno, o (Gilberto) Occhi (presidente da Caixa) e todos que trabalharam nessa matéria, tiveram um cuidado extraordinário de organizar muito bem a estrutura do Cartão Reforma para que, tendo ele início numa espécie de plano piloto lá em Caruaru, ao estender-se para os demais municípios do Brasil, pudesse estar formatado de uma maneira que desse bons resultados”, completou.

Além da entrega dos cartões, Araújo assinou na cerimônia uma portaria para levar o Cartão Reforma a municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Alagoas e Pernambuco, que decretaram calamidade pública por causa das fortes chuvas nessas regiões.

Saída

O tucano chegou a entregar o cargo em maio assim que as denúncias contra o presidente, que depois viraram investigações arquivadas, começaram a surgir. Agora, com a crise interna do PSDB, Bruno Araújo de certa forma antecipa o desembarque dos tucanos no governo Temer.

Segundo fontes, a exoneração do ministro não sairá em edição extra do Diário Oficial e deve estar publicada somente nesta terça-feira, 14. No Planalto, após a divulgação da demissão de Bruno, Temer reuniu-se com auxiliares e outros ministros para discutir o andamento da reforma ministerial que deve fazer em breve.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter