Romênia: partido com maioria no parlamento quer saída de primeiro-ministro

O partido que detém maioria no parlamento da Romênia enviou um voto de falta de confiança contra seu próprio governo…


O partido que detém maioria no parlamento da Romênia enviou um voto de falta de confiança contra seu próprio governo neste domingo, depois de ter retirado seu apoio ao primeiro ministro Sorin Grindeanu . Ele se recusou a renunciar ao cargo, criando uma crise política no país.

Mihai Fifor, senador do partido social-democrata de centro-esquerda, leu a moção contra Grindeanu, acusado de não implementar o programa do partido. O Parlamento votará quarta-feira sobre a demissão do chefe de governo.

A moção acusa Grindeanu de “desprezo pelas regras democráticas … imaturidade e irresponsabilidade política”. Grindeanu, no cargo desde janeiro, nega as acusações. Ele afirma que o presidente do partido, Liviu Dragnea, que não pode ser primeiro ministro por causa de uma condenação por fraude eleitoral em 2016, quer um aliado mais próximo no cargo.

Grindeanu chamou a crise de “estranha”, citando o crescimento de 5,6% da economia romena nos primeiros três meses do ano em relação ao mesmo período em 2016.

O ex-primeiro-ministro Victor Ponta, aliado do atual chefe, pediu um diálogo com Dragnea para resolver a crise. Ele descreveu o voto de falta de confiança como “uma guerra atômica entre duas alas do mesmo partido”.

Ponta disse que o conflito só beneficia o presidente Klaus Iohannis, um rival político. Ele tem o poder de nomear um primeiro-ministro, que é aprovado pelo Parlamento.

Os social-democratas e seus aliados políticos precisam de 233 votos de um total de 465 lugares para remover o governo. Atualmente, eles possuem 247 lugares no parlamento da Romênia. Fonte: Associated Press.