Líder catalão critica ultimato dado por premiê da Espanha

O presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, criticou em entrevista nesta quinta-feira que o ultimato lançado pelo primeiro-ministro da Espanha,…


O presidente regional da Catalunha, Carles Puigdemont, criticou em entrevista nesta quinta-feira que o ultimato lançado pelo primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, contra os independentistas.

“Creio que estamos em um momento crucial. Não há outra condição prévia além de sentar-se e dialogar. Talvez pudesse ajudar o diálogo se duas pessoas do governo da Catalunha e duas do governo Espanhol chegassem a um acordo sobre uma coisa simples: nomear um mediador”, pediu o líder separatista, em entrevista à CNN.

Mais cedo, Rajoy afirmou que o governo central deu a Puigdemont um prazo até a manhã de segunda-feira para esclarecer se ele declarou independência da região ou não.

Na entrevista, o líder catalão argumentou ainda que “a relação entre a Catalunha e a Espanha não funciona e há uma maioria de catalães que querem que a Catalunha seja um Estado independente”, e que por isso as duas partes deveriam “dialogar sem condições”.

Puigdemont pediu ainda que Mariano Rajoy entenda a gravidade da crise. “Não podemos ignorar o fato de que o diálogo e os debates hipotéticos devem partir do reconhecimento de uma realidade”, argumentou.

Na mesma linha, o vice-governador da Catalunha, Oriel Junqueras, também secessionista, criticou o ultimato. “Rajoy, um diálogo sincero é um desejo da comunidade internacional e o que a Catalunha espera, não a confrontação e novas ameaças”, assegurou, em pronunciamento.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter