Israel prende 9 após ataque de palestino com caminhão que matou 4

A polícia israelense reforçou as medidas de segurança em bairros árabes de Jerusalém Oriental nesta segunda-feira, realizando buscas em caminhões…


A polícia israelense reforçou as medidas de segurança em bairros árabes de Jerusalém Oriental nesta segunda-feira, realizando buscas em caminhões e prendendo parentes do motorista palestino que lançou seu veículo contra um grupo de soldados israelenses no dia anterior. O ataque com um caminhão deixou quatro soldados mortos e 17 feridos.

Nove pessoas foram detidas, cinco delas parentes de Fadi Qunbar, de 28 anos, o autor da ação. Todos os presos eram do bairro de Jabel Mukaber, em Jerusalém Oriental, onde Qunbar vivia, disse a polícia. As forças de segurança checavam motoristas e realizavam buscas em carros e caminhões estacionados em Jerusalém Oriental, em um esforço para impedir ataques inspirados no de domingo, disse um porta-voz policial.

Há uma investigação para apurar como Qunbar conseguiu chegar no domingo ao local onde os soldados se reuniam, quem era o dono do veículo e ainda se o ataque havia sido planejado anteriormente, segundo o porta-voz.

Liberal Motors – BC

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou que autoridades iriam aumentar o número de barreiras de concreto nas vias de Jerusalém Oriental onde pedestres se reúnem para protegê-los de ataques similares. “Nós estamos sob um novo tipo de ataque: o agressor solitário que recebe inspiração e decide em um momento agir”, afirmou Netanyahu.

O ataque foi um dos mais mortíferos em mais de um ano de violência entre israelenses e palestinos. Desde setembro de 2015, palestinos mataram 40 israelenses e dois norte-americanos em visita ao país em ataques com facas, tiros e lançando veículos contra as pessoas. No mesmo período, 230 palestinos foram mortos por israelenses. Israel diz que a maioria desses palestinos mortos era de autores de ataques. Os palestinos e grupos de direitos humanos afirmam que Israel muitas vezes usa de força excessiva. Fonte: Associated Press.