Vitória de Trump favorece relação de UE com Brasil

Embaixadores de alto escalão indicaram que o novo cenário pode impulsionar a Comissão Europeia a buscar o Mercosul


O congelamento das negociações comerciais entre Europa e EUA, diante da vitória de Donald Trump, deve levar Bruxelas a apostar num acordo com o Mercosul, em sua ofensiva para abrir mercados pelo mundo. Embaixadores de alto escalão indicaram que o novo cenário pode impulsionar a Comissão Europeia a buscar o Mercosul.

O acordo transatlântico era uma das grandes apostas de Bruxelas, reunindo em uma única área de livre comércio 40% do PIB mundial e acabando com tarifas entre as economias da Europa e EUA. Entre os diplomatas europeus, uma eventual vitória de Hillary Clinton permitiria que o processo seguisse, mesmo com todas as dificuldades que estava enfrentando.

Mas uma suspensão acabou sendo decretada quando Trump e a visão de que todos os acordos comerciais devam ser repensados ganharam.

Pela primeira vez em dez anos, em outubro, Mercosul e UE retomaram as negociações. “O bloco no cone sul não tem acordos hoje com nenhum outro grande parceiro. Se formos os primeiros a chegar, isso nos daria uma grande vantagem”, admitiu um embaixador da UE.

Do lado europeu, a reunião serviu para que melhorias na oferta do Mercosul fosse realizada no setor industrial, principalmente no setor automotivo. O bloco sul-americano, agora, considera quais segmentos poderia oferecer isenção tarifária. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.