O que fazer para evitar golpes de agências de intercâmbio

Diretor de agência de imigração alerta sobre os perigos existentes


Fazer um intercâmbio é uma empreitada que exige não só tempo e pesquisa, mas também alguns recursos financeiros. Ver o sonho de estudar fora indo por água abaixo por conta de um golpe de uma agência de intercâmbio pode ser bastante desalentador. Foi o que aconteceu no início deste ano com alguns alunos, incluindo brasileiros, que tinham o desejo de estudar na Austrália.

“Cerca de 100 alunos que sonhavam em estudar em Brisbane, na Austrália, caíram em um golpe de uma agência de intercâmbio local que os fizeram perder uma quantia que chega a US$ 1 milhão. Tanto o dinheiro quanto a agência sumiram do mapa e os estudantes que queriam morar na Austrália para estudar não souberam o que fazer, pois eles não têm seguro que cubra os prejuízos”, relata MaCson Queiroz J.P., diretor da M.Quality, empresa especializada em Assessoria em Imigração e Negócios para a Austrália.

Foto: Fotolia
Depois de checar se a agência está na lista OMARA, vale pesquisar sobre o serviço oferecido

Segundo ele, a maneira mais segura de estudar na Austrália é contratar uma agência de imigração validada pelo governo. No caso da Austrália, por exemplo, é preciso checar se ela está listada e validada no OMARA (Office of the Migration Agents Registration Authority), uma espécie de secretaria de defesa e proteção aos direitos do consumidor, que é gerenciada diretamente pelo governo australiano.

Padovani Especial Pet – BC.1
Liberal Motors – BC

Elas são obrigadas a manter um seguro (“Professional Indemnity Insurance”) no valor mínimo de A$ 250 mil. Ou seja, mesmo que o estudante ainda não tenha embarcado para o intercâmbio, o investimento estará 100% protegido, já que este sistema garante o reembolso total das vítimas, em caso de golpe. “Outros lugares, como Estados Unidos, Canadá, Irlanda e Inglaterra, não oferecem esse seguro, somente na Austrália”, alerta MaCson. Depois de checar se a agência está na lista
OMARA, vale pesquisar sobre o serviço que ela oferece e sobre os profissionais que trabalham nela.

“Veja se a agência está há muito tempo no mercado e dê preferência para as que são baseadas na Austrália e que contam com agentes bilíngues, que falam português e inglês fluentemente”, recomenda MaCson.

O fato de contar com agente que mora na Austrália é importante, pois ele poderá facilitar todo o processo de visto e, quanto mais conhecimento, mais informações preciosas ele poderá passar ao futuro intercambista. O objetivo da agência é fazer a pessoa ganhar tempo, já que o processo é demorado e requer conhecimento da legislação australiana, listas de profissões e demais regras do País.