Processo de saída da UE e Trump geram desafios para o Reino Unido, diz BoE

O Banco da Inglaterra afirmou que a perspectiva para a estabilidade financeira no Reino Unido permanece desafiadora


O Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) afirmou nesta quarta-feira que a perspectiva para a estabilidade financeira no Reino Unido permanece desafiadora, com ameaças tanto dentro quanto fora do país. A eleição de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos também foi mencionada.

Em seu relatório semestral, o BoE afirmou que o sistema financeiro se sai bem desde a decisão em referendo de junho do Reino Unido de deixar a União Europeia. Segundo a instituição, porém, o processo do chamado Brexit ainda representa riscos.

Autoridades apontaram para riscos associados com o mercado imobiliário para o setor comercial e também com o grande déficit em conta corrente do Reino Unido. Segundo o relatório, um processo “ordeiro” de saída da UE será um fator importante para a preservação da estabilidade.

O Comitê de Política Financeira do BoE, que monitora os riscos para a saúde do sistema, não adotou novas ações de política, mas disse que pediu à equipe que observe riscos associados com derivativos e o setor de seguros.

O relatório também deixa claro como a vitória de Trump na disputa pela Casa Branca continua a reverberar. O BoE disse que a avaliação de que deve haver mais estímulos fiscais nos EUA levou dinheiro de volta para o país, provocando uma alta nos juros e o fortalecimento do dólar, o que pressiona alguns países emergentes mais endividados. O estresse poderia até minar a estabilidade financeira do Reino Unido, caso gerasse grandes prejuízos para os bancos do país, apontou o banco central.

O presidente do BoE, Mark Carney, conversou com repórteres nesta quarta-feira. A autoridade advertiu que algumas políticas defendidas por Trump na campanha poderiam, se realizadas, pesar sobre o comércio global, desacelerando o ritmo do crescimento no mundo. Fonte: Dow Jones Newswires.

Liberal Motors – BC
Revista L – BC.1