Parente: Petrobras poderá se concentrar nos campos ‘melhores dos melhores’

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse nesta terça-feira, 29, que a nova lei do pré-sal não tem repercussão em…


O presidente da Petrobras, Pedro Parente, disse nesta terça-feira, 29, que a nova lei do pré-sal não tem repercussão em projetos em andamento da estatal e destacou que a mudança é “muito importante para o País e para a Petrobras”. “A lei vai basicamente disciplinar os próximos leilões”, afirmou o executivo, após cerimônia de sanção da lei que amplia a participação privada na exploração do pré-sal e retira a obrigação da estatal de ter que investir nos campos.

O presidente da Petrobras destacou ainda que a lei fará com que a estatal possa se concentrar nos campos ‘melhores dos melhores’. “Cada campo, no pré-sal, demanda investimentos de US$ 10 bilhões”, disse.

Parente destacou ainda que sem a obrigatoriedade a empresa vai poder apressar a exploração do pré-sal e, com isso, ajudar na situação econômica do País. “Se os campos estivessem em produção, ajudariam a situação fiscal de Estados e municípios”, afirmou, destacando que 60% do investido em campos são receitas públicas ou de fornecedores locais.

O presidente da estatal destacou que a mudança na lei é positiva já que a Petrobras tem informação muito rica sobre os campos de pré-sal e apenas “troca a obrigação por direito de preferência”. “Estamos muito satisfeitos. Não temos dúvida de que o setor de óleo e gás será o que responderá mais rapidamente”, afirmou.

Em relação a campos para novos leilões, o executivo afirmou que as oportunidades serão olhadas “com muita atenção”. “Vamos participar, operando ou não, onde houver interesse para empresa”, disse.

Combustíveis

Revista L – BC.1
Liberal Motors – BC

Questionado se há alguma sinalização de mudança no preço dos combustíveis, Parente afirmou que qualquer decisão “sobre preço de combustível só é tomada na reunião mensal”. “Não posso antecipar nada.”

Parente participou de cerimônia de sanção da lei que flexibiliza operação e novos investimento no pré-sal, no Palácio do Planalto.