Maioria das Bolsas da Europa, enquanto Londres recua à espera da Opep

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 29, impulsionadas por ações de bancos depois de relatos que o…


As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta terça-feira, 29, impulsionadas por ações de bancos depois de relatos que o Banco Central Europeu (BCE) agirá para evitar uma turbulência depois do referendo sobre uma reforma Constitucional na Itália, que poderá derrubar o primeiro-ministro, Matteo Renzi. Por outro lado, a Bolsa de Londres amargou perdas em meio a incertezas com a reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) sobre um acordo para cortar a produção de petróleo, o que pesou nas empresas do setor.

A Bolsa de Paris subiu 0,91%, aos 4.551,46 pontos; Frankfurt avançou 0,36%, aos 10.620,49 pontos; Milão teve ganho de 2,13%, aos 16.561,86 pontos e Madri teve acréscimo de 0,55%, aos 8.667,00 pontos. Por outro lado, a Bolsa de Londres caiu 0,40%, aos 6.772,00 pontos e Lisboa perdeu 0,26%, aos 4.415,18 pontos.

As ações de bancos subiram com força depois de relatos de que o BCE está pronto para aumentar sua compra de títulos do governo italiano para controlar qualquer turbulência de mercado após o referendo de domingo, 4.

Os bancos italianos têm enfrentado recentemente dura resistência do investidor antes do referendo sobre uma reforma na Constituição. A população italiana irá decidir no dia 4 de dezembro se apoia que o governo tenha mais poderes para aprovar reformas fiscais ou não.

Os investidores temem que caso o “não” vença, os bancos possam ser mais penalizados devido à instabilidade que irá gerar dentro do governo, uma vez que Matteo Renzi anunciou que renunciará. Há o temor de que os efeitos da votação gerem mais dificuldade para o já enfraquecido setor bancário italiano, que pode necessitar de injeção de capital. Com os relatos desta terça, o Unicredit subiu 3,14%, Intesa Sanpaolo avançou 4,25% e o Popolare di Milano ganhou 4,24%.

Em Frankfurt, o Commerzbank avançou 0,02%, enquanto as ações da companhia aérea Lufthansa se recuperaram após serem penalizadas com a greve de pilotos e avançaram 0,7%.

Liberal Motors – BC
Revista L – BC.1

Em Londres, as incertezas em torno da reunião oficial da Opep, que acontece na quarta, pesaram nas ações de petrolíferas. Após semanas de declarações positivas, o que ajudou os preços a se manterem próximos dos US$ 50 por barril, o cartel ainda se mostra distante de um consenso sobre como serão distribuídos esse cortes.

No fim da manhã, o ministro do petróleo do Irã, Bijan Zanganeh, afirmou que seu país pretende seguir o consenso alcançado em Argel, no final de setembro, segundo o qual seu país seria isentado de reduzir sua atividade. A participação do Irã, do Iraque, entre outros, é vista como um dos principais entraves para a finalização do acordo, o que tem pesado nos preços do petróleo. Os papéis da BP recuaram 2,14% e os da Shell caíram 1,95%.

Outro fator que pesou em Londres foram os comentários do presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, que disse que os legisladores europeus devem ser rigorosos com o Reino Unido nas próximas negociações do Brexit, informou o Financial Times. Dijsselbloem acrescentou que a cidade de Londres não pode manter o seu pleno acesso ao mercado da União Europeia se não cumprir todas as regras. Com informações da Dow Jones Newswires