BC do México confirma que Carstens deixará presidência e comandará BIS

O presidente do Banco Central do México, Agustín Carstens, planeja deixar o posto em julho do próximo ano para se…


O presidente do Banco Central do México, Agustín Carstens, planeja deixar o posto em julho do próximo ano para se tornar gerente-geral do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês), informou o banco central nesta quinta-feira. O BIS confirmou que Carstens será o próximo gerente-geral da instituição a partir de outubro de 2017.

Em comunicado, o BC mexicano disse que Carstens apresentou sua demissão ao presidente do México, Enrique Peña Nieto, e que ele deixará o comando do BC em 1º de julho, para entrar no comando do BIS em 1º de outubro.

Carstens assumiu o posto atual em 2010 e está em seu segundo mandato. Sob seu comando, o BC mexicano cortou as taxas de juros para níveis recordes de baixa, com a intenção de promover o crescimento econômico, enquanto a inflação manteve-se em níveis recordes de baixa.

O BC mexicano começou a elevar a taxa de juros novamente em dezembro de 2015 e a elevou quatro vezes neste ano, em resposta à forte depreciação do peso, que começou a elevar os preços aos consumidores. Após 17 meses seguidos abaixo da meta de 3% do banco central, a inflação anual subiu para 3,1% em outubro e estava em 3,3% em meados de novembro. A eleição de Donald Trump nos EUA contribuiu bastante para a desvalorização do peso mexicano ante o dólar.

A incerteza pela saída de Carstens será limitada, contanto que a pessoa indicada seja “alguém capaz de conduzir uma política monetária que respeite o mandato da estabilidade de preços”, afirmou em nota Gabriela Siller, diretora de pesquisas do Banco Base, do México.

O ministro das Finanças do México, José Antonio Meade, disse que a decisão da autoridade não causa preocupação, mas sim é um reconhecimento do trabalho de Carstens. Fonte: Dow Jones Newswires.

Liberal Motors – BC
Revista L – BC.1