Empresas menores terão que se atentar ao sistema eSocial

Governo tornou obrigatório uso do sistema de envio de informações trabalhistas e previdenciárias para micro e pequenas empresas e microempreendedores


 

Nos textos anteriores, eu comentei sobre algumas novidades que o Governo Federal implantou em 2017 como a Reforma Trabalhista e a Declaração de Operações Líquidas com Moeda em Espécie, a DME.

Nessa primeira “Credibilidade que conta!” de 2018, vou falar sobre a implantação do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Físicas, Previdenciárias e Trabalhistas, mais conhecido como eSocial Empresas e que está em vigor desde 1º de janeiro.

Não dá para dizer que o eSocial é uma novidade. Afinal, desde 2015 o sistema é utilizado para o pagamento dos empregados domésticos. Mas, a partir de agora, será usado obrigatoriamente por todas as empresas, independente de seu faturamento.

A implantação será feita em duas fases. Desde o primeiro dia de 2018, o sistema é obrigatório para empresas de grande porte que tiveram faturamento acima de R$ 78 milhões em 2016. Em 16 de julho, o eSocial valerá para todos os demais contribuintes, incluindo micro e pequenas empresas e até o Microempreendedor Individual (MEI).

Foto: Divulgação
Marco Zanini é diretor da Zanini Auditoria, de Americana

Claro, que a novidade tem levantado muitas dúvidas na sua implantação. Por isso, nós aqui da Zanini Auditoria, reunimos várias informações para que você possa preparar sua empresa para o eSocial. Pra começar, o que é o eSocial?

Na prática, o eSocial é uma plataforma online que vai reunir todos os dados dos trabalhadores do País, desburocratizar o envio de informações e reduzir os índices de sonegação, devido à transparência dos dados.

O objetivo do governo com o novo sistema é reduzir custos e simplificar a prestação das informações para as empresas na hora de executar 15 obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, como Caged, GFIP, RAIS, entre outras, em apenas um único envio.

Além disso, o impacto do eSocial será importante para as empresas e também para os trabalhadores, porque vai aprimorar a qualidade de informações das relações previdenciárias, tributárias e de trabalho, simplificar o cumprimento das obrigações e eliminar a redundância de informações prestadas tanto pelas pessoas físicas como pessoas jurídicas.

Vamos continuar falando sobre o eSocial na próxima “Credibilidade que conta!”.

Até a próxima!

*Marco Zanini é diretor da Zanini Auditoria, de Americana. O conteúdo publicado neste espaço é de responsabilidade da Zanini Auditoria

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!