Diretora é agredida por aluna após chamar atenção sobre uniforme no PI

A diretora da escola Firmina Sobreira, localizada zona norte de Teresina, Piauí, Marilena Silva, foi agredida a socos, puxões de…


A diretora da escola Firmina Sobreira, localizada zona norte de Teresina, Piauí, Marilena Silva, foi agredida a socos, puxões de cabelo e pontapés por uma aluna na manhã de quarta-feira, 6. O fato aconteceu após Marilena chamar a atenção de alguns estudantes que estavam sem o uniforme completo, no pátio da unidade de ensino.

Um vídeo com as imagens da agressão passou a circular nas redes sociais e mostra xingamentos trocados entre a professora e a aluna de 16 anos.

“Eu não impedi que ela fizesse prova, pelo contrário, permiti que ela entrasse, já que era final de período, não queria que ninguém fosse prejudicado”, afirmou a diretora à reportagem. “Mas disse que, a partir do dia seguinte, eu não iria aceitar que ninguém entrasse sem fardamento. Aí, ela se irritou e me agrediu daquela forma.”

De acordo com a conselheira Teresina Lucilei de Magalhães, do 1º Conselho Tutelar, a aluna é diagnosticada com transtorno depressivo e faz uso de medicação controlada.

A diretora agredida reclama de omissão. “O Conselho Tutelar firmou no relatório que ela deveria cumprir as regras (da escola), mas ela não cumpria”, disse. “Ela não assistia aula, ficava nos corredores, porque dizia que a medicação não a deixava assistir a aula.”

“A minha tristeza foi porque o Conselho disse acompanharia, com psicólogos, com tudo, mas a deixou lá e aconteceu esse episódio”, lamentou.

Marilena informou que a aluna já havia estudado na unidade em 2015, quando foi transferida de outra escola por ter sido vítima de agressão praticada por colegas. “Ela estudou lá em 2015 e foi reprovada, pois não tinha conseguido se adaptar. Quando ela foi reprovada, eu mandei chamar a mãe e expliquei a situação, que seria interessante procurar outra escola e acompanhar mais de perto”, explicou.

A diretora contou ainda que em 2016 a jovem frequentou uma escola da rede privada e, em agosto deste ano, a Escola Firmina Sobreira recebeu uma intimação do Conselho Tutelar para que a adolescente fosse readmitida.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter