Cientistas criam USB que detecta HIV no sangue e dá resultado em 20 minutos

Nova tecnologia funciona de forma parecida com o teste para diabéticos medirem seus níveis de insulina; pesquisadores garantem precisão de 95%


Cientistas criaram um novo método para descobrir se alguém é HIV positivo ou não: um USB. O estudo, feito pela Scientific Reports por pesquisadores da Imperial College London e da DNA Electronics criou a nova tecnologia que funciona de forma parecida com o teste para diabéticos medirem seus níveis de insulina.

Com uma picada, o chip dentro do USB mede os níveis de HIV no sangue da pessoa. Depois, o dispositivo deve ser colocado em um computador e os resultados podem ser lidos em, em média, 21 minutos. Os pesquisadores garantem que o USB tem precisão de 95%.

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Enquanto a tecnologia não é disponibilizada para o público, há outras maneiras de fazer testes

Além de fazer o teste em si, o dispositivo também serve para que os pacientes que já são diagnosticados avaliem se a medicação está ou não funcionando. No entanto, ainda não há previsão de quando a novidade chegará ao mercado.

Enquanto a tecnologia não é disponibilizada para o público, há outras maneiras de fazer testes. Raquel Xavier Saito, especialista em Infecções Transmitidas Através do Contato Sexual, afirma que em qualquer Unidade Básica de Saúde e em Centros de Testagem de Aids da Prefeitura Municipal de São Paulo é possível fazer o exame.

De acordo com a especialista, há o teste rápido, no qual se coleta sangue e o resultado sai em 30 minutos, e outros tipos, como a amostra de fluído oral ou por coleta de sangue. Nestes dois casos, o resultado demora mais, pois há mais detalhes.

“É importante enfatizar que qualquer um pode fazer o teste, não há necessidade de jejum ou de preparo especial para a realização do teste, que é muito simples e eficaz. Além disso, caso o vírus seja detectado, quanto mais cedo a pessoa iniciar o tratamento, melhor será a sua qualidade de vida”, afirma Raquel.

Liberal Motors – BC
Revista L – BC.1

Além disso, a especialista destaca que a janela imunológica é uma questão importante. “A pessoa interessada deve passar por uma entrevista para identificar possíveis caso em janela imunológica ‘menos de trinta dias da infecção’ ou situações de risco em potencial para contaminação (acidente biológico, relação sexual desprotegida ou uso de material contaminado).”

Na quinta-feira, 1º de dezembro, a Unidade Básica de Saúde Jardim Copa e a Faculdade Santa Marcelina (FASM) farão uma parceria para oferecer de forma gratuita o teste rápido para HIV e Sífilis. O serviço será na unidade de Itaquera da FASM das 9h às 13h. Caso o paciente tenha resultado positivo, serão encaminhados para unidades de referência para dar sequência ao tratamento.

Outra iniciativa programada para o Dia Mundial de Luta Contra a Aids é a Caminhada Cultural Noturna, organizada pela médica infectologista Glória Brunetti, fundadora do Voluntariado Emílio Ribas e da Fundação Poder Jovem, e de Carlos Beutel, empresário e militante da revitalização do Centro de São Paulo. O evento, que começa às 20h em frente do Teatro Municipal de São Paulo, abordará fatos culturais do centro da cidade e tratará sobre temas como a história e evolução da doença, epidemiologia atual Brasil, mortalidade em São Paulo e no Brasil e modos de prevenção.