Após protesto, índios guarani deixam Parque Estadual do Jaraguá

Os índios da etnia guarani que faziam um protesto no Parque Estadual do Jaraguá, na zona norte de São Paulo,…


Os índios da etnia guarani que faziam um protesto no Parque Estadual do Jaraguá, na zona norte de São Paulo, desocuparam o local na noite desta sexta-feira, 15, após reunião com representantes das secretarias estaduais do Meio Ambiente, da Segurança Pública e da Justiça e da Defesa da Cidadania. Desde a última terça-feira, eles estavam no local para tentar retomar a demarcação de uma área de 532 hectares na região.

O grupo chegou a subir o Pico do Jaraguá, ocupar antenas de telecomunicações e interromper o funcionamento da estrutura principal entre a madrugada e a manhã de sexta-feira, fazendo com que residências da zona norte da capital e de cidades da Grande São Paulo – Cajamar, Mairiporã, Caieiras e Franco da Rocha – ficassem sem sinal de TV.

De acordo com a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), 600 mil pessoas foram afetadas. O parque já foi reaberto para a população.

Os índios guarani confirmaram, por meio de nota publicada no Facebook, a desocupação do parque e informaram que ela foi motivada por um acordo feito com o governo do Estado, que incluiu a promessa de não privatizar o Parque Estadual do Jaraguá, o compromisso de não criminalizar as lideranças que participaram dos atos e a criação de uma comissão intersecretarial para debater a questão.

Em nota publicada em seu site, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente informou apenas que o local foi desocupado após um acordo para a criação de uma comissão intersecretarial, formada pelas pastas de Meio Ambiente, Segurança Pública e Justiça e Defesa da Cidadania, para tratar das reivindicações de quatro aldeias indígenas que estavam no parque.

“Na Segunda-feira (dia 18), acontecerá a primeira reunião entre as secretarias e representantes do movimento indígena, em busca de uma solução para o conflito”, informa o comunicado.

Reivindicação

Os índios reivindicam a revogação da Portaria 683/2017, assinada pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, em 15 de agosto. Nela, Jardim anula a Portaria 581, do próprio ministério, de 29 de maio de 2015, que previa a expansão do território indígena no Jaraguá de 3 hectares para 512.

Na ocasião, o ministro sustentou que houve erro administrativo no procedimento e, considerando a abrangência da reserva sobre o parque, a demarcação deveria ter contado com a participação do Estado de São Paulo.

Notícias sobre a região, Brasil e o mundo em um clique. Receba nossa newsletter